COLUNISTAS

Dra. Ana Bolfer Valencio
Tudo que você precisa saber para cuidar bem do seu pet!

PUBLICAÇÕES

Será que meu pet precisa MESMO ser vacinado?

Será que meu pet precisa MESMO ser vacinado?

A resposta pra essa pergunta se resume em 3 letrinhas: S-I-M! As vacinas são uma poderosa arma que nós, médicos veterinários, temos para manter seu pet longe (bem longe!) das doenças virais. Antes de te dar minhas explicações do porque eu considero a vacinação uma OBRIGAÇÃO e não uma RECOMENDAÇÃO, deixa eu começar do começo. O que são vacinas? Muitas pessoas enxergam as vacinas mais como medicamentos do que como algo que tem a função de prevenção, e isso está errado. Em 1976, um médico chamado Edward Jenner percebeu que as moças que ordenhavam vacas e eram expostas ao vírus da varíola bovina não ficavam doentes quando entravam em contato com o vírus da varíola humana. Isso em uma época onde uma epidemia de varíola matou milhares de pessoas... Analisando os fatos, o Dr. Jenner chegou ao conceito inicial de vacina: expondo o sistema imunológico ao vírus inativados ou atenuados, você estará treinando para que ele se defenda rapidamente e responda efetivamente quando for exposto ao vírus "real". Partindo desse princípio, nós vacinamos os filhotes porque o sistema imunológico deles é como uma folha em branco, sem memória viral de nada, apenas alguma imunidade proveniente da mãe, mas nada que seja realmente funcional para combater uma doença grave como a cinomose, por exemplo. Aplicando as primeiras vacinas, nós treinamentos o sistema imunológico dos filhotes para combater doenças e para que, caso eles entrem em contato com esses vírus (e provavelmente eles entrarão, no pet shop, no parque, etc), ele consiga combater a doença de modo que o animal não convalesça. Basicamente funciona como uma academia! Treinamos os filhotes, deixando-os fortes para que eles nocauteiem as doenças! Algumas vacinas são obrigatórias e outras podem variar dependendo da região em que você vive, locais que frequenta e outros fatores. As obrigatórias são: v8 ou v10 e raiva. As vacinas de gripe, giárdia, leishmaniose são optativas. Ok Dra, mas o veterinário do meu animal disse que ele precisará tomar mais de 1 dose de vacina. Por que? A resposta é bem simples: a imunidade vai sendo adquirida aos poucos. A primeira vacina pode sofrer uma pequena interferência dos anticorpos maternos e então não produz imunidade suficiente. Logo, na segunda dose quase 75% da imunidade é produzida e a terceira dose espera-se que o animal esteja 100% protegido. Por que "espera-se"? Porque cada organismo é um e cada animal responde de um jeito, possui uma genética, um sistema imunológico, etc. Então em alguns casos, animais com protocolos vacinais completos podem sim continuar desprotegidos, infelizmente. A boa notícia é que isso é raro e muito incomum de acontecer. Alguns pontos são MUITO IMPORTANTES para garantir que a vacinação seja efetiva: 1- ela deve ser realizada APENAS por um médico veterinário (balconista de agropecuária, tosador do pet shop ou qualquer outro profissional não está autorizado a aplicar nenhum tipo de vacina ou medicamentos no seu animal!) 2- a vacina deve ter sido devidamente armazenada em temperatura ideal e deve ser aplicada com assepsia (agulha e seringa novas) 3- a vacina deve ser de boa procedência (procure marcas confiáveis e de preferência importadas) 4- cuide da carteira de vacinação do seu pet, ele é um documento importante! 5- respeite as recomendações do seu veterinário sobre: não sair na rua, ir ao pet shop, levar na casa do colega, do parente, locais com outros animais, enquanto o seu filhote não estiver completamente vacinado! 6- confie na recomendação do seu veterinário a cerca de quais vacinas você deverá dar no seu pet! Somente ele poderá te orientar corretamente sobre isso. E agora que você já sabe tudo sobre vacinação, corre procurar um veterinário bacana e de confiança para vacinar seu filhote ou para colocar as vacinas em dia caso elas estejam atrasadas! Qualquer dúvida estou a disposição! Um abraço!
7 dicas para cuidar bem do seu gato!

7 dicas para cuidar bem do seu gato!

Olá pessoal, hoje vamos falar um pouco sobre os gatos. Muitas vezes eles são “esquecidos” por serem introspectivos, não são tão brincalhões como os cachorros e podem não chamar tanta atenção, mas quem tem um gato vai concordar comigo que uma vez que você conhece o mundo felino nunca mais quer saber de outra coisa! Uma vez ouvi de um professor meu: quer aprender alguma coisa sobre os gatos? Tenha um. Realmente, a medicina veterinária dos gatos é uma área um pouco mais “profunda” e muitas coisas aprendemos só na prática. Os gatos não são cachorros pequenos! Você sabia que no Brasil a população de gatos é o dobro da de cães? Não parece né? Isso é preocupante, pois indica que grande parte dos gatinhos estão abandonados nas ruas. Todo mundo sabe que quando a gata entra no cio é aquele auê, os gatos machos ficam ouriçados e nessa brincadeira toda vários gatinhos nascem por dia! Por isso todos os bichanos devem ser castrados também. Quando você adota ou compra um gatinho deve estar ciente que ele precisa de praticamente todos os cuidados que um cão. Vejo na clínica que muitos proprietários não sabem sequer que os gatos precisam tomar vacina, vermífugo... Então vou tentar esclarecer algumas dúvidas. 1- Os gatinhos devem ser vermifugados a partir dos 30 dias. A segunda dose vem com 45 dias e a última com 60. Após esse esquema inicial, é interessante que você converse com seu veterinário se a prevenção será feita anualmente, a cada 6 meses ou conforme ele achar necessário. 2- Os gatos devem ser vacinados a partir dos 45 dias. São duas doses de vacina onde a primeira é feita então aos 45 dias e a segunda após 21-30 dias. A primeira vacina protege contra as principais doenças virais, e a segunda dose é o reforço da primeira. Uma terceira dose é necessária em torno dos 90 dias e a anti-rábica com 120 dias. O protocolo vacinal pode variar bastante de gato para gato e de veterinário para veterinário. Os gatos que possuem acesso a rua podem ter um protocolo diferente dos gatos que vivem só em apartamento. O importante é que a vacina seja feita e orientada por um médico veterinário e que seja de qualidade. 3- Eles devem ser transportados em caixinhas de transporte, onde se sentem mais seguros e se estressam menos, fora o risco de se carregar um gatinho solto por ai. Nunca pegue uma caixa de transporte emprestada! Todo gato precisa ter a sua própria caixa de transporte. Ps. Nunca, em hipótese alguma, use uma caixa de transporte de um cachorro para transportar um gato! Eles são muito sensíveis a odores diferentes. 4- Alguns medicamentos são proibidos para gatos! Nunca tente dar ao seu bichinho: AAS e aspirina, paracetamol (famoso Tylenol) e Piridium. Leia mais sobre as intoxicações mais comuns aqui. 5- Os gatos se estressam com muita facilidade! Uma saída de casa pode significar o fim do mundo para um gato, por isso todo cuidado é pouco. 6- Esses animais não colaboram com nós, veterinários, na hora de tomar remédio! Eles babam, não gostam, fazem caras e bocas, espumam. Muitos dos meus clientes pedem para que eu mesma dê os medicamentos ao gato levando-o todos os dias na clínica, talvez seja uma opção aos proprietários que acham esse momento um pouco traumático e estressante. 7- Gatos precisam comer ração para gatos! Existem substâncias nas rações para cachorros que fazem mal aos gatos e nutrientes que são importantíssimos aos gatos que só existem na ração de? gatos! Por isso cuide da alimentação do seu amigo! Uma recomendação MUITO IMPORTANTE que eu gosto de dar é: procure um médico veterinário especialista em felinos para atender seu gatinho. Isso fará toda a diferença na qualidade de vida dele!

voltar ao topo