Fechar

COLUNISTAS

Infância adulterada e sequestrada

Player

Publicado por Gilson Aguiar, 08:56 - 03 de Janeiro de 2019

Três meninas desapareceram em Maringá, ontem pela manhã, tinham entre 11 e 12 anos. Elas deixaram um bilhete dizendo que iriam participar de um desafio. Até o momento em que gravei este comentário, as crianças não tinham sido achadas.


O desaparecimento de pessoas no Brasil é significativo, segundo levantamento da Cruz Vermelha, são oito desaparecimento por hora. Um índice que tem passado despercebido pela maioria dos brasileiros. Entre 2017 e 2016, foram mais 393 mil desparecimentos, levando em conta boletins de ocorrência.


Em 2016, o Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos (Plid) e concluiu que a maioria dos desaparecimentos ocorrem em regiões periféricas. Uma relação direta com a condição econômica e social. Hoje, na maior ONG que atua neste tema, “Mães da Sé”, são 40 mil crianças e adolescentes desaparecidos no Brasil.


Pela orientação de entidades policiais, ás primeiras 48 horas depois do desaparecimento são cruciais para encontrar a pessoa. Depois disso, diminui em 70% a chance de ter sucesso nas buscas.


O destino das crianças desaparecidas podem ser múltiplos, desde adoção ilegal a prostituição.


O que faz crescer esta condição? A mudança do ambiente social, da nossa capacidade de comunicação e interação. A forma como crianças e adolescentes podem ter contato com um mundo além do território doméstico. Sempre estamos sendo bombardeados por elementos sedutores e com uma capacidade criativa de nos conduzir a lógicas atraentes e irreais muitas vezes.


O mundo está mais infantil na lógica propagada, nas mensagens midiáticas e publicitárias, porem com uma estratégia muitas vezes mal intencionada em sua produção. Se a aparência da ingenuidade toma conta do ambiente, a forma como se elaboram os lugares e a estética tem seu interesse bem definido e não acompanha a estética infantil, mas sabe utilizá-la muito bem.


Lembrando sempre que os que se aproximam das crianças para sequestrá-las não tem a aparência da maldade, mas sim, tem o mesmo comportamento e fala sedutora que atrai a infância. Porém, a intenção do adulto destoa e é o oposto de sua ação.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo