Fechar

COLUNISTAS

Trabalho e liberdade

Player

Publicado por Gilson Aguiar, 08:30 - 19 de Fevereiro de 2019

Todos falam em liberdade. Todos querem ser livres. Reivindicamos o direito de fazer o que queremos sem dar satisfação. A autonomia desejada e sonho comum. Mas quantos estão dispostos a pagar por isso? Ser livre tem um preço.


Na sociedade contemporânea quase tudo está à venda. O que não se compra diretamente, tem seu valor associado a alguma outra coisa. Nossos desejos estão mercantilizados e o pagamento da satisfação coloca limite no sonho de ser livre.


Em passado não muito distante, de duas gerações, ainda se tinha claro que para se ter liberdade é preciso ter renda própria. Arrumar um trabalho, se manter, era o passo inicial para a independência. Contudo, aquele que se aventurava a liberdade pagando suas contas sabia que teria limitações nas aquisições dos sonhos. Ninguém saia de casa, rompia dependência, para ter uma renda maior do que a tinha com a dependência.


Agora, estamos vivendo uma falsa ideia que a independência não está associada a autonomia financeira. A renda alheia se tornou uma obrigação para se manter a liberdade. O dependente quer usufruir de tudo o que o mercado oferece, mas não está disposto a bancar o custo dos próprios desejos.


Não podemos esquecer jamais que o trabalho e a renda são os fatores da autonomia humana. O potencial de ganho é um dos fatores que dá a cada um o valor social de prestígio. A maturidade deve ser acompanhada da emancipação econômica. Se queremos a responsabilidade ela deve ter sempre o peso do custo da liberdade.


 

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo