Fechar

Futebol

Demitido

Após afastamento por caso Neymar, Mauro Naves deixa a Globo

Publicado por Folhapress, 16:05 - 08 de Julho de 2019

Bloco de Imagem

Foto: Reprodução/Instagram

O Grupo Globo informou nesta segunda-feira (8) que o jornalista Mauro Naves, 59 anos, não trabalha mais na empresa. Em junho, ele já havia sido, após a emissora divulgar que ele teria tido atitudes que contrariam "a expectativa da empresa sobre a conduta de seus jornalistas".


"O Grupo Globo e o jornalista Mauro Naves decidiram encerrar consensualmente o contrato de prestação de serviços que mantinham. O Grupo Globo reconhece a imensa contribuição de Mauro Naves ao jornalismo esportivo e a ele agradece os 31 anos de dedicação e colaboração", afirma a nota de desligamento divulgada pela emissora.


O motivo do afastamento em junho, segundo a Globo, foi em razão do repórter ter passado o contato do pai de Neymar a José Edgard Bueno, advogado que trabalhava para Najila Trindade. Ela afirma ter sigo agredida e estuprada pelo jogador do Paris Saint-Germain. Neymar nega, e o caso é investigado pela Polícia Civil.


Na ocasião do afastamento, a Globo afirmou que, "em sua defesa, o jornalista disse que se limitou a repassar os contatos do pai do Neymar para o advogado, a quem já conhecia, porque esperava obter a história com exclusividade - e que quando o assunto se tornou público, avaliou que sua participação não teria relevância."


Em entrevista ao programa TV Fama, em junho, a atriz Patricia Naves, mulher do repórter, disse que o afastamento causou uma grande dor na família.


"Acho que ninguém deveria passar o que o Mauro está passando. Eu preferiria não falar, mas não posso. A dor que todos nós da família estamos passando, não desejaria ao meu pior inimigo", disse.


Naves não foi encontrado pela reportagem.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo