Fechar

Volei

sonho

Jovem troca Rio de Janeiro por Maringá para evoluir no vôlei de praia

Publicado por Redação GMC Online, 14:19 - 16 de Novembro de 2018

Bloco de Imagem

O carioca Lucas Sampaio tem 17 anos. Foto: Alexandre Loureiro/Exemplus/COB

O vôlei de praia é uma paixão no Brasil e os Jogos Escolares são uma grande vitrine para jovens que desejam ganhar visibilidade nacional. Foi o que aconteceu com o carioca Lucas Sampaio, de 17 anos. Com duas medalhas na competição no currículo, ele foi convidado pelo técnico Robson Xavier para morar e treinar em Maringá. O jovem abraçou a oportunidade, evolui tecnicamente e conquistou a terceira e última medalha na principal competição escolar no país.


Ao lado de Gabriel Zuliani, Lucas vestiu a camiseta do colégio Dom Bosco de Maringá na final do vôlei de praia 15-17 anos. A terceira medalha de ouro do jovem veio depois da vitória por 2 sets a 0 (21/16 e 21/14) contra a dupla Gabriel Medeiros e Lucas Silva, do Sistema Elite de Ensino (Unidade Tijuca-RJ).


“É muito emocionante, porque cada campeonato parece que é o primeiro. Foram três anos seguidos que conquistei medalhas. O primeiro foi na quadra e os dois seguintes na praia. As duas primeiras conquistas foram pelo Rio de Janeiro. Essa foi a minha última edição dos Jogos, por isso considero o título ainda mais importante”, avaliou Lucas.


A parceria com Gabriel Zuliani começou no início de 2018, quando o técnico Robson Xavier convidou o carioca para treinar na Associação Maringaense de Vôlei de Praia (AMVP). O jovem optou por enfrentar a distância da família e dos amigos em detrimento da realização do sonho de se tornar um grande nome nacional do vôlei de praia.

“O Robson tem um projeto muito bom. Os melhores jogadores nacionais que conquistaram títulos internacionais importantes saíram do projeto de Maringá. Neste ano tive a oportunidade de treinar lá e em Saquarema. Está sendo um ano muito bom para evoluir, pois joguei também o Campeonato Mundial da minha categoria na China”, revelou.


A paixão pelo vôlei de praia começou aos 8 anos de idade, incentivado pelo pai. Depois, trocou o sol e a maresia pelo ginásio fechado do Flamengo no vôlei de quadra. Não demorou muito para ele sentir saudades e voltar a pisar os pés na área quente do vôlei de praia.


“Estou indo no caminho certo de buscar sempre os primeiros lugares. Essa medalha dos Jogos Escolares serve de motivação para continuar no caminho do esporte. Espero chegar longe, porque já vi que muitos dos vencedores dos Jogos Escolares, como Duda e Arthur Lance, estão entre os tops do circuito nacional e internacional. Espero também seguir o mesmo caminho”, sonha.


Com assessoria de imprensa

Bloco de Imagem

Foto: Alexandre Loureiro/Exemplus/COB

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo