Fechar

Gastronomia

conheça a história

Queridinho das feiras, pastel 'enrolado' foi criado em Maringá

Publicado por Luiz Santos, 11:40 - 19 de Junho de 2019

Bloco de Imagem

Foto: Reprodução/Maringá em Fotos

Quem já visitou alguma feira em Maringá conhece o famoso pastel “enrolado”. O que nem todo mundo sabe, é que o salgado foi criado na cidade. E a inspiração da invenção vem de um outro alimento: a linguiça.


Luisa e Roberto Toshinobu Koyama foram os responsáveis pela criação do pastel "enrolado", na década de 70. É o que conta a filha deles e sócia-proprietária do Pastel do Roberto's, Cristiane Koyama.



“Eles queriam criar pastéis com sabores diferentes e se inspiraram no sabor e formato característicos da linguiça”, explica Cristiane. 



Ela comenta que após pesquisarem e testarem receitas, Luisa e Roberto decidiram utilizar carne bovina para rechear o pastel em formato “compridinho”.


De acordo com Cristiane, a carne, então, é temperada com alho e colocada ainda crua no salgado. A carne é frita junto com o pastel. “Por isso fica o pastel fica com um caldinho”, ressalta a sócia-proprietária.

Sobre o nome de batismo do salgado, Cristiane explica que “é por causa do ato de enrolar o pastel”. Segundo ela, era deste jeito que “montavam” o salgado para ficar com o formato diferente dos outros.


A sócia-proprietária garante que o “enrolado” é um dos sabores que mais tem saída na pastelaria, além do também maringaense “mini ovo” (leia aqui) e o de frango com catupiry.


E o sucesso do enrolado é tão grande, que tem gente que já veio de (bem) longe só para buscá-lo.



“Uma vez, uma grávida do Mato Grosso, que já havia comido o salgado em Maringá, mandou um e-mail encomendando 30 ‘enrolados’ e veio até aqui buscá-los”, relata.


Bloco de Imagem

O "enrolado" também é vendido nas feiras da cidade. Foto: Luiz Santos/GMC Online

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo