Fechar

Maringá

veja fotos

1.900 raios atingiram Maringá em 2018; saiba como se proteger

Publicado por Nailena Faian, 14:05 - 14 de Março de 2019

Bloco de Imagem

Foto: Stormaringá

Eles assustam, provocam medo e chegam até a matar pessoas. Em 2018, 1.900 raios atingiram o solo de Maringá, 9% a mais que no ano anterior, quando foram 1.740 descargas elétricas. Os dados são do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).


De acordo com o Elat, em média 4,7 raios por km² caem em Maringá por ano. O dado é baseado em estatísticas dos últimos seis anos. Esses números colocam a cidade na posição 157 no ranking estadual de densidade de raios. No ranking nacional, Maringá fica na posição 1.713. 

Bloco de Imagem

Foto: Stormaringá

Caçando tempestades


Maringá conta com um grupo de amigos que “caçam” tempestades. O céu começou a escurecer e os trovões começaram a soar, eles já estão prontos para registrar o temporal. As fotos e vídeos são divulgados na fanpage “Stormaringá”.


Um dos integrantes do grupo é o técnico em meteorologia Acácio Cordiolli, que também é colunista do portal GMC Online. Sempre caçando tempestades na região de Maringá, ele explica como se proteger desse fenômeno natural.



“No meu caso os raios são sempre um risco iminente, por isso utilizo muito a lei dos trinta segundos, que nada mais é que contar 30 segundos após avistar uma descara elétrica. Se o som da trovoada for ouvido antes de terminar a contagem dos trinta segundos, isso significa que já estou em risco e devo buscar abrigo. Caso a trovoada seja ouvida após os trinta segundos, ainda estou seguro”, explica.



Outra dica que ele dá é ficar atento aos calafrios e notar se os pelos dos braços ou cabelos estão “levantados”.



“Isso costuma acontecer quando você está se tornando um ponto de atração do raio, sendo uma situação de perigo extremo, pois o raio pode te atingir a qualquer momento. Nesse caso a busca de abrigo deve ser imediata. O ideal é entrar em um veículo e permanecer ali com os vidros fechados. Mas caso não haja um carro por perto e pior, ainda estiver em um campo aberto, o correto é se agachar, não deitar, tentar proteger a cabeça e aguardar”, orienta.



Outra recomendação é jamais ir para debaixo de uma árvore quando uma tempestade estiver se aproximando.


Mortes


Segundo o Elat, a cada 50 mortes no mundo por raios, uma ocorre no Brasil. Do ano 2000 até 2017, 2.044 pessoas morreram vítimas de descargas elétricas no país e 82% eram do sexo masculino.



Confira mais detalhes no gráfico abaixo. 


Bloco de Imagem

Fonte: Elat

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo