Fechar

Maringá

personagem da cidade

A vida da garota do apito fora de Maringá

Publicado por Nailena Faian, 11:06 - 09 de Outubro de 2019

Não são mais os motoristas de Maringá que buzinam e observam a garota do apito perambular pelas ruas e avenidas da cidade, em meios aos veículos, sem medo nenhum. Agora ela ocupa as vias de Hortolândia, interior de São Paulo.


Em Maringá, sua característica principal era o apito: enquanto se arriscava andando no meio da rua, ela apitava sem parar, atraindo olhares de todos os lados e garantindo seu apelido de garota do apito.


Para os moradores, ela dizia que se chamava Ivone. Mas, seu nome real é Dulcelina. Hoje, aos 42 anos de idade, ela sai para passear por Hortolândia diariamente, visitando comerciantes, assim como fazia na Cidade Canção. A única diferença é que ela abandonou o apito.



“Ela mora aqui há dez anos e ainda tem esse costume. Anda pelos arredores, vai nos comércios tomar café e acaba ganhando presentes dos empresários que se acostumam com a presença dela, igual em Maringá. Tem uma mulher que é boleira e dá até bolo de aniversário para ela”, conta a sobrinha de Dulcelina, Gisele Regina da Silva.



Ela mora com a “gorda”, apelido de Dulcelina entre os familiares. Diz que é sagrado ela sair de casa pelo menos um pouquinho todos os dias. Apesar de sofrer de esquizofrenia, a doença segue controlada com a ingestão dos medicamentos e assim ela consegue sair e voltar sozinha para casa tranquilamente. Segundo Gisele, depois que ela começou a usar o remédio certo, não usou mais o apito.


Conforme familiares, Dulcelina teria aderido ao apito depois que um comerciante deu a ela e orientou que ela fizesse bastante barulho quando estivesse caminhando na rua para que os motoristas a notassem e ela não fosse atropelada.



"Nunca se perdeu e também nunca sofreu acidente. Só esses dias que uma mulher acertou ela, mas foi de raspão, Deus cuida dela. A gente briga para ela não andar no meio dos carros, mas não adianta. Só que ela vai bem devagar”, conta Gisele.



Apesar de a cidade ficar em São Paulo, Gisele diz que Hortolândia, por ser interior, é tranquila e tem trânsito menos movimentado que Maringá, um alívio para a família.


Dulcelina se mudou para São Paulo depois que os pais e sua irmã que moravam em Maringá morreram. Agora ela vive com dois irmãos e a sobrinha. Além de passear pelas ruas, a personagem icônica da Cidade Canção gosta muito de assitir televisão e é fã do programa Chaves. 

Bloco de Imagem

Foto: Arquivo pessoal

Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui, e encaminhe uma mensagem informando o seu nome.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo