Fechar

Maringá

Boletim Natal

Dez empresas disputam licitação para casa do Papai Noel

Publicado por Carina Bernardino, CBN Maringá, 19:05 - 28 de Agosto de 2018

Mesmo após o Observatório Social de Maringá pedir a impugnação da concorrência, os envelopes da licitação para a casa do Papai Noel foram abertos nesta terça-feira (28). As informações são da CBN Maringá.


Ao todo, dez empresas têm interesse em decorar o espaço para o Natal. A licitação tem lote único, para locação da estrutura, montagem, manutenção, desmontagem e decoração da casinha do bom velhinho.


Agora os documentos entregues serão analisados e não há prazo para o processo de habilitação das concorrentes. As empresas interessadas são: MC Shows e Eventos Ltda, Bernardes Promoções Artísticas, A.A. Distribuição e Importação de Artigos de Decoração, Dorigan Indústria e Comércio de Equipamentos Musicais, VW Estruturas Metálicas e Eventos, R. de S. Alves, J. de O. Souza Eventos, Naiara Guimarães Rosa, HDC Fabricação e Manutenção Industrial e LT Decorações.


A prefeitura se propõe a pagar até R$ 402,7 mil pelos serviços. Já foram abertas para a “Maringá Encantada – Um Natal de Luz e Emoção” seis licitações.Juntos, os valores de serviços licitados passam de R$ 6 milhões.


O edital prevê que a casinha do Papai Noel tenha 150 metros quadrados e 8 metros de altura. A instalação será no mesmo lugar do ano passado, na praça Renato Celidônio. A entrada será de graça.


A abertura do Natal em Maringá está marcada para o dia 15 de novembro e a programação deve seguir até 6 de janeiro de 2019.


Na semana passada, o Observatório Social pediu a impugnação da licitação da casa do Papai Noel porque considerou que o preço da licitação é frágil. No entanto a prefeitura respondeu que a concorrência pública transcorre dentro da transparência.


 


Leia mais notícias de Maringá

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo