Fechar

Maringá

Rede privada

Busca por vacina contra meningite gera filas em clínicas de Maringá

Publicado por Nailena Faian, 18:55 - 28 de Fevereiro de 2019

Após casos de meningite serem confirmados em Maringá e região, a procura pela vacina que combate a doença aumentou na Cidade Canção. Em um centro de vacinação da cidade, por exemplo, a procura aumentou em 70% entre ontem (27) e hoje (28).


Conforme a enfermeira e proprietária do local, Leidiane Miranda, a procura é tanta que chega a formar fila de espera. “Telefones não param de tocar e aqui precisa esperar bastante, porque a procura está grande e tem fila”, conta.


Na rede pública, a vacina disponibilizada é apenas a que protege contra a meningocócica do grupo C. Nos centros de vacinação privados, a demanda é pela vacina que protege contra a meningite B, meningite ACWY e meningite neumocócica.


Nos dois centros de vacinação que a reportagem entrou em contato, a dose de cada vacina varia de R$ 380 a R$ 620.


Em um centro de vacinação localizado na Zona 2 da cidade, uma funcionária disse que o estoque que geralmente dura dois meses, deu para apenas um dia. Só hoje o local atendeu mais de cem pessoas, sendo a maioria crianças.

Casos de meningite


Na última terça-feira (26), uma adolescente de 15 anos morreu em um hospital de Campo Mourão. Ela foi diagnosticada com meningite tipo B. Segundo a prefeitura, o município não registrava um caso de meningite desde 2016.


No Hospital Universitário (HU), em Maringá, permanece internado um menino de 3 anos, morador de Sarandi, que está com meningite bacteriana. Segundo o hospital, o quadro dele é estável e o pequeno deve ter alta na próxima segunda-feira (4), após o término do antibiótico que ele está fazendo uso.


Aqui em Maringá, neste ano já foi registrada uma morte por meningite bacteriana. A vítima foi um bebê de 1 ano e 2 meses que morreu no dia 8 deste mês.

Bloco de Imagem

Foto: EBC

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo