Maringá

Maringá

Mais duas escolas são habilitadas no processo da compra de vagas

Publicado por Victor Simião/CBN Maringá, 19:05 - 13 de Março de 2019

Mais duas escolas privadas de Maringá foram habilitadas no processo de credenciamento da Prefeitura para ofertas de vagas na educação infantil. A abertura do envelope de habilitação ocorreu na tarde desta quarta-feira (13), no Paço Municipal.


Agora, as instituições aguardam para a abertura do segundo envelope, o que avalia a capacidade técnica. Oito empresas educacionais participaram do credenciamento, mas só duas não tiveram problema, nessa segunda rodada. As demais foram inabilitadas por descumprirem o edital. Há escolas com certidão do FGTS vencida, e teve quem não apresentasse o alvará.


A Prefeitura de Maringá quer duas mil vagas na rede privada para crianças de 0 a 3 anos e 11 meses. Entretanto, até o momento, só conseguiu 135 – anteriormente a Prefeitura havia informado que eram 105 vagas. Quatro escolas foram credenciadas na rodada anterior. 90 matrículas foram feitas até o momento, entretanto somente seis alunos começaram a estudar, e foi nesta quarta-feira o primeiro dia deles.


Agora, as empresas inabilitadas têm até cinco dias úteis para contestar a decisão da comissão que avaliou os documentos de habilitação. A secretária de Educação de Maringá, Gisele Colombari, espera que elas consigam reverter a questão documental. Além disso, a secretária falou, em entrevista à CBN Maringá, que não imaginava que haveria tanto problema com a documentação. Mas é compreensível, afirmou ela.

A Prefeitura de Maringá oferta mais de R$ 30 milhões para o credenciamento.


Em relação ao calendário oficial, as crianças que começaram a estudar em agora perderam ao menos um mês de aula.


A fila de crianças que aguardam uma vaga no município é de mais de 3 mil. Ano passado a Justiça determinou que a demanda fosse zerada.

Bloco de Imagem

Foto: Ilustrativa/arquivo/PMM

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo