Fechar

Maringá

Educação

Maringá: Greve na UEM é suspensa; retorno às aulas é marcado

Publicado por Redação GMC, com colaboração de Victor Simião/CBN Maringá, 14:37 - 13 de Agosto de 2019

A greve na Universidade Estadual de Maringá (UEM) foi suspensa. A decisão foi tomada pelos servidores em assembleia realizada na tarde desta terça-feira (13), no Restaurante Universitário. A paralisação teve início no dia 26 de junho.


Estiveram representados na assembleia, o Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar), a Associação dos Docentes da Universidade Estadual de Maringá (Aduem), a Associação dos Funcionários da Universidade Estadual de Maringá (Afuem), a Seção Sindical dos Docentes da Universidade Estadual de Maringá (Sesduem) e o Diretório Central dos Estudantes (DCE).


De acordo com o presidente do Sinteemar, José Maria Marques, as aulas devem retornar na próxima segunda-feira (19).


"Vai ser encaminhado um expediente para a reitoria para que as aulas só voltem na segunda-feira (19). Também mantivemos assembleia permanente para que caso o governo resolva levantar alguma bandeira contra os trabalhadores públicos do Paraná, nós estamos prontos para ir par ao embate de novo. Amanhã, as atividades vão retomando aos poucos, tem toda uma logística para se retomar", explica. 


O principal motivo  que culminou na greve foi a falta de reajuste salarial. Os servidores, de início, pediam a reposição dos últimos 12 meses: 4,94%. Eles estão sem reajuste desde 2015.


A proposta oficial do Governo é 5,08% de forma parcelada. 2%, com pagamento em janeiro de 2020, e as outras duas 1,5%, com pagamentos em janeiro de 2021 e janeiro de 2022, se houver disponibilidade financeira no caixa do Estado. Os servidores da UEM tinham rejeitado a proposta em julho. Agora, na tarde de hoje aprovaram.

Bloco de Imagem

Foto: Divulgação/Sinteemar

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo