Fechar

Maringá

Brumadinho

Maringaense vai vender fotos para ajudar aldeia atingida pela lama

Publicado por Nailena Faian, 17:11 - 23 de Agosto de 2019

Quase sete meses depois do rompimento de uma barragem destruir parte da cidade de Brumadinho, em Minas Gerais, as consequências da tragédia ainda persistem. Para alertar sobre isso e ajudar uma aldeia afetada, o fotojornalista maringaense Breno Thomé Ortega vai realizar uma exposição de fotos e vender as imagens para arrecadar dinheiro e destinar aos índios. 


Logo após o mar de lama da barragem da mina do Córrego do Feijão provocar tanta destruição e mortes, o jovem maringaense, de 23 anos, viajou para o local e com uma câmera fez os registros dos momentos tão tristes vividos pelos moradores de lá.

Bloco de Imagem

Foto: Breno Thomé Ortega

Ele passou alguns dias com os índios da Aldeia Pataxó. Eles moravam à beira de um rio que foi devastado pela lama.



“A aldeia dependia do rio para sobreviver. Eles usavam para pesca, para fazer rituais sagrados, tomar banho, para plantação. Além disso, a crença deles é que seu povo nasceu de uma gota de água do deus Tupã. Então além das perdas materiais, tem um valor muito simbólico para eles, então não vão sair de lá”, explica Ortega.



A data da exposição ainda vai ser confirmada, mas será no próximo mês, na Coletiva Mostra Multicultural, localizada na Zona 7. Todo o dinheiro arrecadado com a venda das imagens será doado para a aldeia se reestruturar.


No mesmo dia, será lançado o documentário feito pelo fotojornalista que retrata o drama vivido pelos índios da aldeia. A exibição será aberta ao público. 



“Após o fato ocorrido, já foram cinco tentativas de suicídio na aldeia e vários índios tiveram que ser realocados para outras aldeias. Eles estão vivendo hoje de doação. A água que bebem e a maioria dos alimentos são doados e não é de órgãos públicos nem da Vale”, diz indignado. 


Bloco de Galeria

Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui, e encaminhe uma mensagem informando o seu nome.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo