Fechar

Maringá

Primeiro trimestre

Número de mortes cai quase 15% em Maringá

Publicado por Carina Bernardino/CBN Maringá, 08:36 - 25 de Abril de 2019

Bloco de Imagem

Foto: divulgação/Prefeitura de Maringá/CBN Maringá

A capela mortuária do Cemitério Municipal de Maringá não tem sido utilizada com frequência, o que de certa forma é bom porque menos pessoas têm morrido na cidade. De acordo com a Associação dos Notários e Registradores do Estado do Paraná (Anoreg-PR), foram 547 mortes registradas este ano no município.


No total, foram emitidas 195 certidões de óbitos em janeiro, 191 em fevereiro e 161 em março. Em relação a 2018, a queda nos registros foi de quase 15%. No primeiro trimestre do ano passado ocorreram 643 mortes na cidade - 214 em janeiro, 179 em fevereiro e 250 em março.


A reportagem da rádio CBN Maringá entrou em contato com a Prefeitura Municipal para saber como está o uso da capela mortuária e descobriu que, por mês, cerca de 15 velórios ocorrem no local. Levando em consideração que o prédio tem quatro salas para velórios, o espaço tem sido pouco utilizado. Em média, ocorre um velório a cada dois dias, explica o secretário de Serviços Públicos, Vagner de Oliveira.


"Com o aumento da população, a capela será ainda mais utilizada. As famílias que não têm condições de velar o seu ente querido, a gente cede a capela mortuária. Só existe um consumo de energia quando está velando uma pessoa e a questão da limpeza também [ocorre] quando ela [capela] é utilizada. Hoje, a gente entende que custa o mínimo para o município e é um serviço de grande utilidade para a população maringaense", afirma o secretário. 


A capela mortuária de Maringá ficou dez anos desativada. A reforma do prédio, que fica na rua Mem de Sá, custou R$ 350 mil e durou 90 dias. O recurso foi da prefeitura e do Prever, por meio de um convênio. A capela tem quatro salas para velórios e estacionamento. A solicitação de uso do espaço deve ser feita no cemitério municipal.


Em 2018, ocorreram 2.589 óbitos em Maringá, segundo a Anoreg-PR.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo