Fechar

Maringá

Hackathon

Projetos campeões de maratona maringaense serão enviados para NASA

Publicado por Carina Bernardino/CBN Maringá, com Assessoria de Imprensa , 08:37 - 18 de Outubro de 2019

Bloco de Imagem

NASA Space Apps 2018. Foto: Divulgação/Assessoria de Imprensa

É o terceiro ano consecutivo que o NASA Space Apps Challenge ocorre em Maringá. Serão 24 horas de programação. O hackathon, que tem aproximadamente 200 inscritos, será realizado entre sábado (19) e domingo (20) na Unicesumar.


Os dois projetos vencedores vão concorrer com outras iniciativas globais. E os cinco campeões mundiais terão a oportunidade de conhecer a sede da agência nos Estados Unidos. O coordenador local da maratona, Marcelo Bonfim, diz que o evento incentiva o empreendedorismo e inovação. A ideia é que os participantes desenvolvam soluções para problemas reais da Terra e do espaço.


Segundo ele, a área de tecnologia está em constante desenvolvimento, e a necessidade de resolver problemas se mantém. “Algo que não muda é a importância de solucionar problemas da nossa casa, que é como a NASA chama o planeta Terra, e relacionados ao espaço. Conhecer problemas maiores, que afetam milhares de pessoas, faz com que a solução tenha que ser pensada de forma escalável, e de maneira interdisciplinar, conceitos fundamentais para o desenvolvimento de soluções tecnológicas nos dias atuais”, detalha.


A abertura do NASA Space Apps está marcada para sexta-feira (18), às 19h, no Auditório Dona Etelvina. Os minicursos e palestras iniciarão às 8h de sábado (19), nos laboratórios do Bloco 8, antes de os participantes irem para a biblioteca da instituição e embarcarem na grande maratona, com início marcado para 12h de sábado e será encerrada no domingo (20), às 12h.

Bloco de Imagem

Foto: Divulgação/Unicesumar

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo