Fechar

Maringá

Jardim Canadá

Rua com casas contêineres vira ‘ponto turístico’ em Maringá

Publicado por Nailena Faian, 16:31 - 14 de Novembro de 2018

Bloco de Imagem

Casa contêiner fica na Rua Sindicalista Paulino de Carlos, no Jardim Canadá II. Foto: Divulgação

A Rua Sindicalista Paulino de Carlos, no Jardim Canadá II, em Maringá, deixou de ser uma via comum. Nos últimos meses, o movimento de pessoas lá aumentou e muito. O motivo são duas casas contêineres, uma que está pronta e outra que está sendo finalizada.


“Eu nem consigo trabalhar, toda hora tem que parar porque as pessoas ficam vindo aqui, querem entrar, conhecer. De domingo nem se fala. A rua virou ponto turístico”, conta o responsável pela construção, Cássio Libero Girardi, de 44 anos.


O morador via as construções com contêineres no Estados Unidos e ficava admirado. Decidiu colocar o sonho em prática. Primeiro ajudou na construção de uma casa contêiner para seu avô. Depois, investiu em um projeto mais ousado para construir o próprio sobrado de contêiner.


O imóvel é formado por seis contêineres que vieram do Porto de Santos (SP) e de Itajaí (SC). Cada um custou em torno de R$ 13 mil. “É um projeto muito atrativo. Fica cerca de 30% mais barato do que uma casa de alvenaria”, explica Girardi.

Ele começou a construir o sobrado de 310 m² há três meses e a previsão é de que em no máximo trinta dias esteja pronto. Além de ser mais barato, o tempo para levantar o imóvel é bem menor do que um de alvenaria.


Girardi, o filho e um soldador que também é apaixonado por contêiner trabalham de domingo a domingo para finalizar o projeto. A casa tem quarto, sala, cozinha, banheiros, sala de jogos, piscina e até sacada.


De acordo com a Secretaria de Planejamento da prefeitura, não é preciso projeto especial para construção de um imóvel com contêiner. Por não existir diferenciação de projetos de alvenaria, a pasta não soube informar quantas casas contêineres têm na cidade. Girardi acredita que tenha pelo menos outras três. “Caprichada igual a minha não tem nenhuma”, brinca.


Questionado sobre ser muito quente dentro do imóvel, Girardi explica que é mais fresco que casas de alvenaria. “Enquanto o sol está batendo, a lata fica quente para o lado de fora. Só passar dez minutos sem bater sol e ela já fica gelada. É uma economia de ar condicionado”, diz ele.

Bloco de Imagem

Casa contêiner fica cerca de 30% mais barata do que uma casa de alvenaria. Foto: Divulgação

E a aventura se tornou negócio. Uma imobiliária da cidade se interessou no projeto e quer que sua sede seja em um contêiner e é Girardi quem está à frente da execução.


“Acredito que esse tipo de projeto deveria ter desconto, porque o contêiner é um material de descarte, depois de dez anos em uso não tem aproveitamento e é vendido. Deveria ter um incentivo para ser construir mais casas assim, o lixo é quase zero durante a construção”, defende.

Bloco de Galeria
Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo