Paraná

Viralizou

6 cães esperam dono, morador de rua, na porta de hospital

Publicado por Nailena Faian, 18:16 - 03 de Janeiro de 2019

Bloco de Imagem

Cães ficaram esperando o dono na portal do hospital de Cianorte. Foto: Reprodução/Facebook

A cena de seis cachorros deitados na frente de um hospital de Cianorte (a 87 quilômetros de Maringá) viralizou nas redes sociais. Os animais são de um morador de rua que sofreu um derrame cerebral e precisou ser internado na noite dessa quarta-feira (2).


De acordo com a ONG Amigos de Patas Cianorte, o morador de rua é conhecido como seu Luiz e cuida dos seis cãezinhos, dividindo o que tem com eles. Ao sofrer o derrame cerebral, ele foi levado pelo Samu para a Santa Casa e os animais seguiram a ambulância.


“Seus amigos de patas acompanharam ele e ficaram aos choros do lado de fora”, disse a ONG em um post no Facebook que teve 145 compartilhamentos e mais de 500 reações.


O episódio comoveu moradores de Cianorte, diz o superintendente da Santa Casa, Kaio Feroldi Motta. "Por ter esse vínculo e esse carinho pelos animais, ele (seu Luiz) acaba atraindo para si alguns. Então, quando ele foi internado, os cães ficaram na porta do pronto socorro, que foi por onde ele deu entrada, esperando o dono sair", comenta Motta.


"Uma vez eu vi o seu Luiz na rua. Ele estava sentado com os animais, e como eu estava perto de um restaurante acabei comprando uma marmita para ele. Eu fui embora e quando olhei para trás vi que ele estava dividindo a comida com os animais", completa.


Nesta quinta-feira (3), o morador de rua teve alta e foi levado para uma casa junto com os amigos de quatro patas, segundo informações da ONG e do hospital. 


Colaborou CBN Maringá.

Bloco de Imagem

Homem alimenta cães enquanto o dono estava internado. Foto: Reprodução/Facebook

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo