Fechar

Paraná

Saúde

Projeto 'Sorrir com Saúde' já atendeu mais de mil crianças na região

Publicado por Redação GMC, 08:25 - 27 de Maio de 2019

Bloco de Imagem

Foto: Divulgação

O projeto Sorrir com Saúde lançou na quinta-feira (23) um livro com o passo a passo sobre a organização desta iniciativa, que leva prevenção e tratamento dentário a escolas e associações de Maringá, Sarandi, Paiçandu e Marialva.


O projeto, iniciado em 2008, é coordenado pela professora Mitsue Fujimaki, do curso de Odontologia e do Programa de Pós-Graduação em Odontologia Integrada, da Universidade Estadual de Maringá (UEM), que tem atividades na Clínica Odontológica, parte do Complexo de Saúde da UEM. A proposta conta com a participação de docentes, graduandos e pós-graduando em Odontologia, e de residentes da área da Saúde Coletiva, da UEM. Em Maringá, o grupo atua no Centro Municipal de Educação Infantil Nilza de Oliveira Pepino.


“Neste programa, alunos da graduação atuam através de atividades preventivas e educativas com crianças de 0 a 5 anos, enquanto residentes da saúde coletiva desempenham atividades curativas de controle da cárie. É importante destacar que o objetivo é levar informação sobre saúde bucal às crianças de uma forma didática e simples, além do tratamento, que é realizado sem o uso de anestesia e de instrumentos rotatórios, tornando mais fácil o processo de aceitação pelas crianças. Além disso, pode ser feito em qualquer local, tornando o serviço mais acessível”, explica a cirurgiã dentista, Josely Umeda, que atua no projeto.


Dinâmica – Segundo a coordenadora do projeto, a iniciativa teve início com o contato dos profissionais com a direção das escolas e associações. Os gestores abriram as portas das instituições e o trabalho passou a ser feito semanalmente.


“Para conquistar as crianças, primeiro, nos apresentamos a elas e mostramos todo o material que a gente vai utilizar, para que os alunos conheçam o trabalho de um cirurgião dentista. Depois, fazemos um exame na garotada e vamos realizando os tratamentos e as iniciativas de prevenção. As atividades são desenvolvidas todas as quintas-feiras. Os residentes realizam o tratamento da cárie, dando prioridade para as crianças em situação de alerta e, em seguida, tratando as demais de acordo com a demanda. Paralelamente, os alunos da graduação realizam atividades de educação em saúde bucal”, explica a coordenadora Mitsue Fujimaki.


No início do atendimento, foram identificadas muitas crianças com cáries dentárias, informou Josely Umeda. Por isso, ela destacou a importância das ações preventivas. “Não basta apenas tratar as cáries. Esta é uma doença multifatorial; isto é, tem várias causas vindas de hábitos do cotidiano, desta forma, necessita de cuidado e atenção diários. Assim, o projeto visa empoderar as crianças com autocuidado e conhecimento sobre o assunto para que o trabalho não seja em vão e que não haja risco de desenvolverem novas cáries ao longo do tempo”, esclareceu Josely.


Agora, o grupo quer ajudar outros profissionais a realizarem projetos similares. Por isso, lançou o livro, que recebeu o mesmo nome do projeto Sorrir Com Saúde: construindo ações intersetoriais para a promoção da saúde bucal em centros de educação infantil. A publicação apresenta o passo a passo sobre a atuação do profissional da saúde nas instituições de ensino, em atividades educativas e curativas.


“Mais de mil crianças, não apenas em Maringá, já foram atendidas pelo Sorrir Com Saúde. Atuamos na Escola municipal Darci Mochi e no Centro Espírita Maria Dolores, em Sarandi; na Escola Pedro Françoso, em Paiçandu; no Pro-arte, em Marialva; além do Centro de Educação Infantil Nilza de Oliveira Pipino. Agora, queremos que essa ideia vá para outros municípios do Paraná e do Brasil”, concluiu a professora Mitsue Fujimaki.


Por Ana Paula Machado Velho/ASC UEM

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo