Fechar

Policial

Maringá

Caso Jeniffer: MP denuncia suspeito de matar adolescente

Publicado por Nailena Faian, 18:47 - 19 de Junho de 2019

O Ministério Público do Paraná ofereceu denúncia, nesta terça-feira (18), contra Carlos Alberto Dias da Silva, de 29 anos, e seu irmão, Roberto Dias da Silva, de 33 anos, pelo assassinato de Jeniffer Tavares Mologni, de 16 anos. A adolescente foi encontrada morta em Maringá no dia 7 de maio e o laudo cadavérico apontou asfixia e traumatismo craniano como causa da morte.


Carlos Alberto foi denunciado por homicídio qualificado, estupro de vulnerável, ocultação de cadáver e fraude processual. Já seu irmão foi denunciado por fraude processual e ocultação de cadáver.


Conforme consta na denúncia, Roberto teria ajudado a ocultar o corpo de Jeniffer. Além disso, conforme o documento, ele foi até o motel onde Carlos e Jeniffer estiveram para recolher o pertence de ambos.



“Após tal encenação, os denunciados [...] inovaram o estado de coisas, vale dizer, ocultaram o telefone celular pertencente à vítima bem como descartaram as roupas remanescentes [de Jeniffer e Carlos] a fim de encobrir a realidade, tudo objetivando apagar eventuais vestígios dos crimes até então cometidos”, diz a denúncia.



A reportagem tenta contato com a defesa dos dois denunciados.

Carlos Alberto está preso desde o dia 10 de maio. Para a polícia, ele nega ter cometido o crime e diz que Jeniffer morreu de overdose.

A denúncia do Ministério Público detalha que Carlos Alberto dopou Jeniffer e a levou desacordada para o quarto do motel, onde a colocou na cama e a despiu. Na sequência, houve o estupro. Diante da violência, a adolescente acordou, momento em que ele apertou o pescoço e bateu a cabeça dela contra a cabeceira da cama, produzindo as lesões que foram comprovadas por meio de laudo cadavérico. 

Bloco de Imagem

Foto: Reprodução/Facebook

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo