Fechar

Policial

Relatório

Em 11 meses, Denarc apreendeu mais de 300 quilos de crack na região

Publicado por Redação GMC Online, 11:22 - 09 de Dezembro de 2019

Um relatório divulgado pela Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) da Polícia Civil de Maringá revela um crescimento expressivo nos números de apreensões feitas este ano em Maringá e região. O destaque é para a quantidade de crack, ecstasy e maconha apreendidos, que cresceu aumentou consideravelmente.


De janeiro a novembro deste ano, foram 307 quilos de crack apreendidos, enquanto que no mesmo período de 2018 foram apenas oito quilos da droga. No ano passado, a Denarc apreendeu duas unidades de LSD. Este ano, foram 95.


Já o ecstasy teve aumento de 416 unidades. Em 2018 foram apreendidas 100 unidades e neste ano 516.
O relatório ainda mostra os dados referentes a apreensão de maconha, haxixe e cocaína. Em relação a maconha, o aumento foi de pouco mais de 16 mil quilos para quase 25,4 mil. Já a apreensão de cocaína saltou de 84,5 quilos para 120,5.


Por fim, o haxixe registrou aumento de 3,2 quilos. Em 2018 foram 5,7 quilos e, neste ano, 9 quilos.


O número de presos também aumentou: em 2018, até novembro, foram 113 pessoas detidas. Este ano, no mesmo período: 147. A apreensão de carros e motos subiu de 41 unidades para 57; já a apreensão de armas se manteve estável, foram 11 em cada período.


Segundo o delegado-chefe da Denarc de Maringá, Leandro Roque Munin, o aumento no número de prisões se deve, principalmente, ao combate ao crime organizado. “Os demais resultados são reflexo do aprimoramento dos meios de investigação, cursos e integração com as demais forças policiais”, diz.


Por Assessoria de Imprensa - Conselho de Segurança Pública (Conseg) de Maringá


Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui, e encaminhe uma mensagem informando o seu nome.

Bloco de Imagem

Foto: Ilustrativa/Divulgação/Denarc

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo