Fechar

Política

Prisão

Eleitores só poderão ser presos em flagrante

Publicado por Carina Bernardino/CBN Maringá, 18:16 - 02 de Outubro de 2018

As prisões de eleitores só poderão ser em flagrante a partir desta terça-feira (2), em todo o país. Ou seja, quando a pessoa for detida cometendo uma infração ou quando acabou de cometê-la. Também poderá ser detido o eleitor com sentença criminal condenatória por crime inafiançável, como racismo, tortura, tráfico de drogas e crimes hediondos.


A medida é prevista no Código Eleitoral e no Código de Processo Penal e também se estende para membros de mesas e fiscais de partidos políticos. Já os candidatos estão sob proteção legal contra prisão desde o dia 22 de setembro, salvo se pegos em flagrante delito. 


A proteção para eleitores vale até dois dias após a realização do pleito, que ocorre no domingo (7). Mas a chefe da Central de Atendimento ao Eleitor, Patrícia Sevilha Greco, diz que existem exceções durante este período.


Outra situação excepcional, que permite a prisão de um eleitor, é quando há perseguição policial e a pessoa é encontrada com armas e objetos suspeitos. A última exceção, é para a autoridade que desobedecer salvo-conduto, que pode ser detida por até cinco dias. O eleitor preso neste período eleitoral será levado ao juiz e se o magistrado entender que a detenção é ilegal, o suspeito poderá ser punido e solto.


Foto de capa: Divulgação

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo