Política

Arquivado

Vereadores rejeitam pedido para avaliar ação policial no Carnaval

Publicado por Victor Simião/CBN Maringá, 17:03 - 12 de de 2019

Bloco de Imagem

Foto: Marquinhos Oliveira/CMM

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Maringá rejeitou o requerimento que solicitava a investigação relativa a possíveis ocorrências de abuso policial durante o Carnaval na cidade. Dos cinco membros do grupo, quatro votaram contrariamente. O presidente da comissão, vereador Carlos Mariucci (PT) não votou. Ele só se posicionaria em caso de empate.


O pedido foi apresentado dias atrás, por advogados da Frente Brasil Popular, movimento social ligado principalmente ao PT.


O carnaval de Maringá foi cancelado após uma série de polêmicas, mas jovens foram às ruas mesmo assim. As forças de segurança de mobilizaram, colocando homens armados na região central. Por causa disso, o grupo de advogados viu o cerceamento de liberdade e até abuso. A decisão da comissão arquiva o requerimento.


Nos últimos, após a notícia de que a câmara iria discutir o assunto por meio da comissão de direitos humanos, os vereadores foram alvo de críticas. Para muita gente, o trabalho da Polícia Militar (PM) foi correto.


Um dos vereadores que votaram contra a solicitação foi Alex Chaves (PHS), vice-presidente da comissão. Segundo ele, o requerimento não tinha aspectos técnicos.


“Não encontramos fundamentos para que a comissão desse prosseguimento aos trabalhos”, disse ele à reportagem da CBN Maringá (ouça a reportagem completa aqui).


Apesar de não ter votado, Mariucci diz que deveria ter havido mais debate sobre assunto, mas destacou que a comissão é soberana.


“Os vereadores entenderam que não tinham ali substâncias suficientes para abrir um procedimento de investigação”, declarou


Também fazem parte da comissão Flávio Mantovani (PPS), Sidnei Telles (PSD) e Professor Niero (PV).

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo