Fechar

COLUNISTAS

OSCAR 2020: QUEM VAI GANHAR E QUEM DEVERIA

Publicado por Elton Telles , 23:46 - 06 de February de 2020

foto figurino

Criação da estilista Jacqueline Durran para "Adoráveis Mulheres, favorito na categoria Melhor Figurino (Foto: Divulgação)

MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO


Os indicados são:
Brotherhood
NEFTA Football Club
The Neighbor’s Window
Saria
A Sister


Curiosamente, eu cheguei ao final de todos os curtas-metragens de ficção indicados e pensei “bom, é ok, mas poderia ser bem melhor”. No geral, esta é uma boa categoria, mas nenhum dos filmes me arrebatou. Acredito que vença o tunisiano “NEFTA Football Club” pela graciosidade.


Vai Vencer: “NEFTA Football Club”.
Votaria em: “NEFTA Football Club”.


 


MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO


Os indicados são:
Daughter
Hair Love
Kitbull
Memorable
Sister


Todos os 5 curtas-metragens indicados nesta categoria apelam para algum fator emotivo: família, amizade, morte, memória, identidade... uns são mais inventivos esteticamente, outros se apropriam de diferentes técnicas permitidas pela animação, da computação gráfica ao stop-motion, para narrar suas histórias. “Hair Love” é favorecido pela história pautada em diversidade e ter realizadores conhecidos por trás do filme. A campanha vai favorecê-lo, mas o meu preferido é o ousado curta russo “Daughter”, sobre os desencontros temperamentais entre pai e filha. O francês “Memorable” também é lindo e tem a minha torcida.


Vai Vencer: “Hair Love”.
Votaria em: “Daughter”.


 


MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO


Os indicados são:
In the Absence
Learning to Skateboard in a Warzone (If You’re a Girl)
St. Louis Superman
A Vida em Mim
Walk, Run, Cha-Cha


Dos 5 selecionados, só não assisti a “St. Louis Superman”, que muitos posicionam como o favorito da categoria. No mais, acho que “Learning to Skateboard in a Warzone (If You’re a Girl)” sobre garotas afegãs aprendendo a andar de skate pode aquecer o coração dos votantes, e não à toa, é um filme muito bonito e simpático. “A Vida em Mim” repercute uma nova doença que atinge crianças refugiadas na Suécia, a Síndroma de Resignação, e é um relato interessante e repleto de esperanças, enquanto “Walk, Run, Cha-Cha” é um documentário básico sobre um casal vietnamita que encontrou na dança o seu fôlego de vida. Nenhum destes mexeu mais comigo do que o coreano “In The Absence”, um devastador registro sobre o descaso do governo em resgatar um navio naufragado que transportava mais de 400 estudantes.


Vai Vencer: “Learning to Skateboard in a Warzone (If You’re a Girl)”.
Votaria em: “In the Absence”.


 


RESULTADO FINAL


1917 – 4 estatuetas
Parasita – 3 estatuetas
Coringa – 2 estatuetas
Adoráveis Mulheres – 2 estatuetas
Era Uma Vez em... Hollywood – 2 estatuetas
Ford vs Ferrari – 2 estatuetas
História de um Casamento – 1 estatueta
Judy – Muito Além do Arco-Íris – 1 estatueta
O Escândalo – 1 estatueta
Harriet – 1 estatueta
Klaus – 1 estatueta
Indústria Americana – 1 estatueta
NEFTA Football Club – 1 estatueta
Hair Love – 1 estatueta
Learning to Skateboard in a Warzone (If You’re a Girl) – 1 estatueta

Foto curtas

Filmes dos EUA, Guatemala, França e Tunísia estão indicados na categoria Melhor Curta-Metragem Ficção (Foto: Divulgação)

 


MELHORES EFEITOS VISUAIS


Os indicados são:
1917
O Irlandês
O Rei Leão
Star Wars – A Ascensão Skywalker
Vingadores: Ultimato


Aqui temos outra categoria sem vencedor definido, o que nos leva a concluir que qualquer um possa ganhar. Qualquer um mesmo. A eficiência já conferida na criação virtual do universo “Star Wars”; a hiper-realidade dos animais e paisagens computadorizados de “O Rei Leão”; o rejuvenescimento dos atores de “O Irlandês”; os efeitos surpreendentes de “1917”; e, por fim, o filão de super-heróis representado com a maior bilheteria da história do cinema, “Vingadores: Ultimato”. Será que os votantes vão levar as cifras em consideração ou vão optar por filmes mais “artísticos”, como fizeram nos últimos anos com “Ex Machina” (2014) e “O Primeiro Homem” (2018)?


Vai Vencer: “1917”.
Votaria em: “Star Wars – A Ascensão Skywalker”.
Merecia ter sido indicado: “Projeto Gemini”.


 


MELHOR MIXAGEM DE SOM


Os indicados são:
1917
Ad Astra
Coringa
Era Uma Vez em... Hollywood
Ford vs Ferrari


Vale relembrar para quem confunde as categorias que envolvem som: Mixagem de Som é o som do filme como um todo. É o equilíbrio de diferentes sonoridades em uma cena (diálogos, trilha sonora, ruídos acrescentados...), primando pela limpeza e coerência do que o espectador vai ouvir. Essa parte é concluída na pós-produção por profissionais com ouvidos aguçados: eles pegam o material bruto e modelam o desenho de som do filme. Dito isso, “1917” mescla diferentes camadas sonoras e é um resultado digno de reconhecimento.


Vai Vencer: “1917”.
Votaria em: “1917”.
Merecia ter sido indicado: “Rocketman”.


 


MELHOR EDIÇÃO DE SOM


Os indicados são:
1917
Coringa
Era Uma Vez em... Hollywood
Ford vs Ferrari
Star Wars – A Ascensão Skywalker


Já a categoria Edição de Som reconhece o trabalho dos editores de som, aqueles profissionais que elaboram e faz captação de sons em estúdio para serem encaixados nos filmes. Por exemplo, uma bomba estourando ou o disparo de uma arma. A briga aqui é entre “1917” e “Ford vs Ferrari”. Geralmente filmes barulhentos são premiados nesta categoria e filmes de guerra são a maioria deles, portanto vou dar um voto de confiança à Academia de escolher algo “novo”, ambientado em pistas de automobilismo.


Vai Vencer: “Ford vs Ferrari”.
Votaria em: “Ford vs Ferrari”.
Merecia ter sido indicado: “Ad Astra”.


 

bombshell

Maquiagem e próteses fazem parte da caracterização da atriz Charlize Theron para sua personagem no filme "O Escândalo" (Foto: Divulgação)

 


MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADOS


Os indicados são:
1917
Coringa
O Escândalo
Judy – Muito Além do Arco-Íris
Malévola: Dona do Mal


Nesta categoria, encontramos mais um caso de títulos amados pela indústria que receberam votos automáticos. Não estou dizendo que os trabalhos de maquiagem de “1917” e “Coringa” sejam ruins, mas são inferiores a tantos outros filmes que arrasaram neste quesito e não entraram. No mais, a caracterização de Charlize Theron, John Lithigow, Malcolm McDowell e todo o elenco de “O Escândalo” é absolutamente brilhante e acredito que nem tenha concorrência.


Vai Vencer: “O Escândalo”.
Votaria em: “O Escândalo”.
Merecia ter sido indicado: “Midsommar” e “Rocketman”, dois filmes admiráveis nesta divisão.

 


MELHOR TRILHA SONORA


Os indicados são:
1917
Adoráveis Mulheres
Coringa
História de um Casamento
Star Wars – A Ascensão Skywalker


Muito bons os indicados, mas só figurinha repetida, meio que mais do mesmo. Por isso, é interessante quando surge sangue novo com uma banda sonora original e surpreendente. Este é o caso da islandesa Hildur Guðnadóttir, de “Coringa”. É a favorita e a minha torcida.


Vai Vencer: “Coringa”.
Votaria em: “Coringa”.
Merecia ter sido indicado: Como a trilha extasiante de “Ad Astra” foi desclassificada pela Academia, gostaria muito que as composições excelentes e atmosféricas de “Nós”, “Dor e Glória” e “Ford vs Ferrari” figurassem aqui.


 


MELHOR CANÇÃO ORIGINAL


Os indicados são:
“I Can’t Let You Throw Yourself Away” (Toy Story 4)
“I’m Gonna Love Me Again” (Rocketman)
“I’m Standing With You” (Superação – O Milagre da Fé)
“Into the Unknown” (Frozen 2)
“Stand Up” (Harriet)


Há muitas pessoas que defendem a extinção da categoria Canção Original do Oscar. Eu sou contra, porque eu sempre achei bacana a premiação às músicas que são compostas exclusivamente para os filmes. Mas diante dos indicados deste ano, eu fiquei tentado a concordar com o grupo da discórdia. Esta é a pior seleção do Oscar 2020. Com exceção de “Stand Up”, da fraca cinebiografia “Harriet”, todas as outras são imemoráveis.


Vai Vencer: “Stand Up” (Harriet)
Votaria em: “Stand Up” (Harriet)
Merecia ter sido indicado: “Glasgow (No Place Like Home)” do singelo “As Loucuras de Rose” ou “Speechless”, da versão live-action de “Aladdin”. Assista abaixo.

A cerimônia do Oscar 2020 acontece neste domingo, dia 9 de fevereiro. Nesta semana derradeira, aproveito para comentar todas as 24 categorias da premiação, ecoando a qualidade dos finalistas e os títulos merecedores que foram preteridos pela Academia de Hollywood.


É sabido que esta foi a temporada de premiações mais curta que se tem nota. Os 8.469 mil membros do Oscar tiveram apenas 6 dias para submeter seus votos para definir os indicados. Consequentemente, o curto espaço de tempo se refletiu na lista final: poucos filmes com muitas indicações – algumas não tão justas, considerando a concorrência esnobada.


Já para escolher os vencedores, o prazo foi ainda menor: 5 dias. Pouco tempo para assistir e digerir tantos filmes, não acham? Então, fica aquela sensação de que sai na dianteira quem seguiu o protocolo de fazer lobby, campanha pesada e se manteve duradouro nos holofotes. A máxima “quem é visto é lembrado” também é aplicável ao Oscar.


 

 


MELHOR DOCUMENTÁRIO


Os indicados são:
Democracia em Vertigem
The Cave
For Sama
Honeyland
Indústria Americana


Achei admirável como a comissão de documentaristas neste ano decidiu internacionalizar a categoria, dando atenção a outros filmes para além dos Estados Unidos. Somente “Indústria Americana” têm coprodução com os EUA, e não só por isso, mas desponta como vencedor. O que é uma pena, pois é o mais fraco da seleção se você me perguntar. Entretanto, em tempo que o país e a China estão em pleno acordo comercial, é provável que as pautas externas o favoreçam. Ou então o chocante “For Sama” pode se sobressair por conta da terrível e contínua guerra na Síria. Ou ainda, em tempos que se falou muito sobre o já descartado impeachment do presidente Donald Trump, por que não o brasileiro “Democracia em Vertigem”? Espero que o Oscar surpreenda aqui.


Vai Vencer: Com pesar, “Indústria Americana”.
Votaria em: “Honeyland”.


 


MELHOR FOTOGRAFIA


Os indicados são:
1917
Coringa
Era Uma Vez em... Hollywood
O Farol
O Irlandês


Por mais que todos os desempenhos de iluminação sejam louváveis entre os indicados, o Oscar já está nas mãos do gênio Roger Deakins pela tarefa árdua de fotografar uma história com tantos planos longos como a de “1917”. É um dos achievements mais encantadores que este filme tem pra mostrar ao público.


Vai Vencer: “1917”.
Votaria em: “1917”.
Merecia ter sido indicado: a paleta de cores afinada e contemplativa de Hoyte van Hoytema para a ficção científica “Ad Astra”.


 


MELHOR MONTAGEM


Os indicados são:
Coringa
Ford vs Ferrari
O Irlandês
Jojo Rabbit
Parasita


A categoria Montagem ainda não tem vencedor definido. Tirando “Jojo Rabbit”, que está claramente ocupado a vaga de um filme mais merecedor, os outros quatro finalistas têm chances. “Parasita” surpreendeu e ganhou o prêmio do sindicato, enquanto “Ford vs Ferrari” merecidamente ganhou o BAFTA. Este último sai em vantagem porque a transição das cenas é primordial para o funcionamento da narrativa, então acaba sendo um recurso usado no filme que chama muita atenção para si. No entanto, não desmereçam a força de “Coringa”, muito menos a veterana Thelma Schoonmaker, vencedora de 3 Oscar e parceira habitual de Scorsese, por trás da edição de “O Irlandês”.


Vai Vencer: “Ford vs Ferrari”.
Votaria em: “Parasita”.
Merecia ter sido indicado: Jennifer Lame por “História de um Casamento” ou a dupla de montadores de “Joias Brutas”, Ronald Bronstein e Benny Safdie.


 


MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO


Os indicados são:
1917
Era Uma Vez em... Hollywood
O Irlandês
Jojo Rabbit
Parasita


Nesta categoria, temos trabalhos muito distintos e todos impecáveis. “1917” impressiona pela crueza da guerra, com locais desalojados e destruídos. Às vezes, é mais difícil descontruir do que construir. Da Primeira vamos para a Segunda Grande Guerra com “Jojo Rabbit”, que remete ao aspecto simétrico e colorido de um Wes Anderson, além de cenários aconchegantes para elevar o efeito contrário do caos instalado. “O Irlandês” atravessa décadas e carrega a habilidade de traduzir o significado de solidão em cada ambiente, enquanto “Parasita” é um extraordinário trabalho que transforma os lugares em importantes personagens da trama. Por fim, acredito que leva a reluzente, convidativa e também ameaçadora Hollywood no auge do movimento hippie de “Era Uma Vez em... Hollywood”.


Vai Vencer: “Era Uma Vez em... Hollywood”.
Votaria em: “Era Uma Vez em... Hollywood”.
Merecia ter sido indicado: A reconstituição de época de “Peterloo” é monumental e merecia reconhecimento.


 


MELHOR FIGURINO


Os indicados são:
Adoráveis Mulheres
Coringa
Era Uma Vez em... Hollywood
O Irlandês
Jojo Rabbit


O que diabos “Coringa” está fazendo na categoria de Figurino é um mistério pra mim. Aqui temos um caso evidente de um filme que estava na boca de todo mundo e entrou pela popularidade. Já os demais concorrentes são muito bons. Entretanto, não consigo me livrar do desconforto que me causa a preguiça dos votantes em se ater aos mesmos filmes em todas as categorias técnicas. Tantos outros títulos com figurino rebuscado, fruto de pesquisa e orgânico à narrativa ficaram de fora (veja abaixo). No mais, Jacqueline Durran e o seu preciosismo em “Adoráveis Mulheres” é quem vai merecidamente levar essa.


Vai Vencer: “Adoráveis Mulheres”.
Votaria em: “Adoráveis Mulheres”.
Merecia ter sido indicado: “Meu Nome é Dolemite”, “As Golpistas”, “Judy – Muito Além do Arco-Íris”, “Peterloo”, “Rocketman”...

Foto animação

Cenas das animações indicadas; da esq. para dir. são "Perdi Meu Corpo", "Link Perdido", "Klaus", "Toy Story 4" e "Como Treinar o Seu Dragão 3" (Foto: Divulgação)

 


MELHOR ANIMAÇÃO


Os indicados são:
Como Treinar o Seu Dragão 3
Klaus
Link Perdido
Perdi Meu Corpo
Toy Story 4


Melhor Animação é uma das maiores incógnitas desta edição do Oscar. Afinal, considerando as premiações anteriores, cada uma das animações foi vencedora, o que não engatilha nenhuma como favorita a levar a estatueta dourada. Com exceção de “Link Perdido”, que tecnicamente é um arraso, porém conta uma história bobinha demais, todas as outras são ótimas e merecem o prêmio. Os votantes vão com a maré e escolher filmes de estúdios consagrados, como “Toy Story 4” ou uma animação menor, pouco conhecida e estrangeira, como é o caso da francesa “Perdi Meu Corpo”? A categoria segue aberta.


Vai Vencer: “Klaus”.
Votaria em: “Toy Story 4”.
Merecia ter sido indicado: Não mexeria em nada nesta categoria. Um abraço, “Frozen 2”.

Foto 3

Elenco do fenômeno sul-coreano "Parasita", que pode surpreender no Oscar 2020 (Foto: Divulgação)

 


MELHOR ROTEIRO ORIGINAL


Os indicados são:
Bong Joon-ho, Jin Won Han (Parasita)
Noah Baumbach (História de um Casamento)
Quentin Tarantino (Era Uma Vez em... Hollywood)
Rian Johnson (Entre Facas e Segredos)
Sam Mendes, Krysty Wilson-Cairns (1917)


“1917” à parte, todos são belíssimos roteiros, cada um especial à sua maneira e eu não ficaria incomodado se qualquer um deles vencesse. No mais, a briga é “Parasita” x Tarantino. Se este último já ganhou 2 vezes nesta mesma categoria, eu acredito que o fenômeno sul-coreano sai na frente.


Vai Vencer: Bong Joon-ho, Jin Won Han (Parasita)
Votaria em: Bong Joon-ho, Jin Won Han (Parasita)
Merecia ter sido indicado: a excelente comédia “Fora de Série”, creditada a 4 roteiristas.


 


MELHOR ROTEIRO ADAPTADO


Os indicados são:
Anthony McCarten (Dois Papas)
Greta Gerwig (Adoráveis Mulheres)
Steven Zaillian (O Irlandês)
Taika Waititi (Jojo Rabbit)
Todd Phillips, Scott Silver (Coringa)


O roteiro de “Jojo Rabbit” ganhou tração nas últimas semanas com as vitórias no BAFTA e no sindicato de roteiristas. Isso o posiciona como um possível favorito, o que é um absurdo não só pela concorrência muito superior, mas porque é um script bastante falho. Pra ridicularizar o nazismo, o filme não precisa ser ridículo, e seu diretor/roteirista Taika Waititi visivelmente encontra dificuldades em separar as duas coisas. Em contrapartida, os roteiros de “O Irlandês” e “Adoráveis Mulheres” são inteligentes em sua estrutura e brilhantes como dramaturgia clássica.


Vai Vencer: Greta Gerwig (Adoráveis Mulheres)
Votaria em: Greta Gerwig (Adoráveis Mulheres)
Merecia ter sido indicado: o subestimado “Luce”, baseado na peça teatral de J.C. Lee.


 


MELHOR FILME INTERNACIONAL


Os indicados são:
Corpus Christi (Polônia)
Dor e Glória (Espanha)
Honeyland (Macedônia do Norte)
Os Miseráveis (França)
Parasita (Coreia do Sul)


Esta é a maior barbada da premiação. Somente uma zebra muito grande para a Coreia do Sul não levar o seu primeiro Oscar pra casa. Ou então, pode acontecer o pensamento coletivo de que “Parasita” conseguiu bastante visibilidade e os membros decidiram de forma intuitiva premiar outro candidato, o que eu acho bem improvável. No mais, a seleção é forte.


Vai Vencer: “Parasita”.
Votaria em: “Parasita”.
Merecia ter sido indicado: tantos excelentes filmes mundo afora não conseguiram emplacar. Para ficar restrito na shortlist, eu escolho os representantes do Senegal, “Atlantique”, e da Rússia, “Uma Mulher Alta”.

Foto 2

Os atores favoritos nas categorias de interpretação (Foto: Divulgação)

MELHOR FILME


Os indicados são:
1917
Adoráveis Mulheres
Coringa
Era Uma Vez em... Hollywood
Ford vs Ferrari
História de um Casamento
O Irlandês
Jojo Rabbit
Parasita


Desde 2010, quando a categoria Melhor Filme foi ampliada de 5 para até 10 indicados, esta é inquestionavelmente a melhor seleção. Com exceção da comédia satírica “Jojo Rabbit”, eu acho todos os demais títulos acima da média.


Em se tratando do vencedor, “1917” leva vantagem por ter iniciado sua trilha rumo ao sucesso no Globo de Ouro e, deste então, abocanhou prêmios essenciais dos sindicados de produtores e diretores, além do BAFTA (o Oscar Britânico, que compartilha muitos votantes com o Oscar). Gosto de “1917”, é muito bem realizado, mas o premiaria somente nos departamentos técnicos, porque sinceramente acho decepcionante uma produção com atrativos puramente estéticos derrotar competidores que, além de visualmente caprichados, são encorpados com storytellings finíssimos.


Vale lembrar que o sistema de votação somente nesta categoria é por ordem de preferência. Isto é, todos os votantes fazem um ranking do filme que mais gostou ao filme que menos gostou. O meu top 3 seria Parasita > Adoráveis Mulheres > O Irlandês, por exemplo. Do resultado, é calculada uma média e o mais bem posicionado é o vencedor do Oscar.


Como aconteceu com o drama investigativo “Spotlight” em 2016, que foi uma total surpresa em uma corrida nebulosa, mesmo “1917” sendo franco favorito, acredito que o sul-coreano “Parasita” e talvez “Era Uma Vez em... Hollywood” possam surpreender.


Vai Vencer: “Parasita”.
Votaria em: “Parasita”.
Merecia ter sido indicado: “Joias Brutas”.


 


MELHOR DIRETOR


Os indicados são:
Bong Joon-ho (Parasita)
Martin Scorsese (O Irlandês)
Quentin Tarantino (Era Uma Vez em... Hollywood)
Sam Mendes (1917)
Todd Phillips (Coringa)


Mais um ano que a Academia de Hollywood ignora por completo as cineastas mulheres e indica a “turma do bolinha” com 5 realizadores homens conduzindo dramaturgias também protagonizadas por homens – talvez “Parasita” seja o único ponto fora da curva. Apesar da falta de diversidade, com exceção de Todd Phillips, que faz um trabalho apenas correto em “Coringa”, os outros quatro foram muito dignos de uma indicação, responsáveis por filmes notáveis e com assinatura.


Acredito que ninguém consiga tirar a estatueta das mãos do britânico Sam Mendes pela ousadia de filmar planos longuíssimos em meio à guerra em “1917”. É de fato um desafio desgastante com resultado impecável. Não é meu preferido da categoria, mas vai ser uma vitória com merecimento.


Vai Vencer: Sam Mendes (1917)
Votaria em: Bong Joon-ho (Parasita)
Merecia ter sido indicada: Greta Gerwig (Adoráveis Mulheres)


 


MELHOR ATOR


Os indicados são:
Adam Driver (História de um Casamento)
Antonio Banderas (Dor e Glória)
Joaquin Phoenix (Coringa)
Jonathan Pryce (Dois Papas)
Leonardo DiCaprio (Era Uma Vez em... Hollywood)


Tal qual Melhor Filme, essa é a melhor seleção de atores nesta categoria em anos. Acho que qualquer um dos 5 indicados é merecedor do prêmio, porém uns estão superiores a outros, portanto vamos a eles. Meu favorito é Antonio Banderas, mas o próprio falou que não tem chances, pois é “o estrangeiro” da lista; Jonathan Pryce impressiona, mas não tem chance; DiCaprio está excelente como o ator decadente Rick Dalton, um papel que caiu como uma luva; Adam Driver entrega uma atuação competente e emociona em “História de um Casamento”. Ainda que com oponentes bem fortes, esse Oscar já tem dono e responde pelo nome de Joaquin Phoenix.


Vai Vencer: Joaquin Phoenix (Coringa)
Votaria em: Antonio Banderas (Dor e Glória)
Merecia ter sido indicado: Adam Sandler (Joias Brutas)


 


MELHOR ATRIZ


As indicadas são:
Charlize Theron (O Escândalo)
Cynthia Erivo (Harriet)
Renée Zellweger (Judy – Muito Além do Arco-Íris)
Saoirse Ronan (Adoráveis Mulheres)
Scarlett Johansson (História de um Casamento)


Definitivamente, a categoria Melhor Atriz não reflete a ótima safra de filmes lançados em 2019. As atuações de todas as indicadas são boas, mas a maioria defende filmes medíocres. São os casos de Theron, Erivo e a franca favorita, Renée Zellweger. Infelizmente, os desempenhos dessas atrizes são contaminados pela direção fraca e roteiro pouco atraente dos filmes pelas quais estão nominadas. Em contrapartida, Saoirse Ronan e Scarlett Johansson são beneficiadas com personagens com alma e boas falas e, não por acaso, são as minhas preferidas desta seleção.


Vai Vencer: Renée Zellweger (Judy – Muito Além do Arco-Íris)
Votaria em: Saoirse Ronan (Adoráveis Mulheres)
Merecia ter sido indicada: Lupita Nyong’o (Nós)


 


MELHOR ATOR COADJUVANTE


Os indicados são:
Al Pacino (O Irlandês)
Anthony Hopkins (Dois Papas)
Brad Pitt (Era Uma Vez em... Hollywood)
Joe Pesci (O Irlandês)
Tom Hanks (Um Lindo Dia na Vizinhança)


Só a nata de Hollywood online. Esta poderia ser facilmente uma seleção do Oscar em qualquer ano da década de 1990, com a presença de atores veteranos e renomados. Destes 5, somente Brad Pitt não tem um Oscar de atuação – ele ostenta uma estatueta em sua estante como produtor de “12 Anos de Escravidão” (2013) –, mas este jejum parece ter chegado ao fim. O Oscar é dele e ninguém tira. No mais, precisa ser dito que qualquer um dos demais atores está à altura para vencê-lo.


Vai Vencer: Brad Pitt (Era Uma Vez em... Hollywood)
Votaria em: Brad Pitt (Era Uma Vez em... Hollywood)
Merecia ter sido indicado: Wesley Snipes (Meu Nome é Dolemite)


 


MELHOR ATRIZ COADJUVANTE


As indicadas são:
Florence Pugh (Adoráveis Mulheres)
Kathy Bates (O Caso Richard Jewell)
Laura Dern (História de um Casamento)
Margot Robbie (O Escândalo)
Scarlett Johansson (Jojo Rabbit)


Outra categoria bem representada, mas com vencedora já definida. Laura Dern foi vitoriosa em praticamente todas as premiações prévias, atua na indústria do cinema há anos, é filha de atores prestigiados e é bastante influente por também presidir a comissão de atores na Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Vinda de uma carreira de altos e baixos, trabalhando com grandes diretores, como David Lynch, Steven Spielberg e Alexander Payne, este é o momento desta ótima atriz ser reconhecida. As demais podem aproveitar o buffet.


Vai Vencer: Laura Dern (História de um Casamento)
Votaria em: Florence Pugh (Adoráveis Mulheres)
Merecia ter sido indicada: Jennifer Lopez (As Golpistas)

Foto 1

Montagem com cenas dos 9 indicados a Melhor Filme (Foto: Divulgação)

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo