Fechar

COLUNISTAS

O dia depois de amanhã

Publicado por Tiago Valenciano, 09:15 - 15 de maio de 2019

Bloco de Imagem

Fonte: https://pixabay.com/pt/photos/t%C3%BAnel-verde-balne%C3%A1rio-pinhal-3833927/

"O Brasil não é para principiantes (ou amadores", já diria o famoso pianista Antônio Carlos Jobim, o Tom Jobim. A frase, marcada na história do páis, mostra a dificuldade em lidar com a miscigenação de raças e culturas existentes por aqui: de portugueses a espanhóis, de índios aos africanos, lidar com uma diversidade cultural latente provoca, é claro, as mais diversas reações. Quando falamos da política então...sai de baixo!

Chegamos a um ponto da jovem fase democrática do Brasil que não é mais possível retroceder. As redes sociais deram voz, às vezes boa e muitas vezes péssima, às pessoas. O embate político, voltado para o contexto eleitoral, transcende o mês de outubro e passa a integrar a tarefa diária do cidadão "de bem": basta acordar que as notícias são espalhadas, sem critério algum, via whatsapp, além dos comentários proferidos na internet, ora ao estilo hater, ora apoiando partidários.


Mas, precisamos abandonar a paixão. De todos os lados. Quando tratamos a política, Maquiavel já nos trouxe, há mais de 500 anos, um retrato fiel, realista e preciso de como a natureza humana conduz os negócios de seus principados. A lição já deveria ter sido aprendida. Política é uma tarefa apaixonante, mas a execução dela tem que ser muito racional. Um descuido na hora de aplicar investimentos, de executar projetos ou até mesmo de pensar uma lei, pode arruinar o destino de um município, de um estado, de um país.


A paixão é boa e deve existir. Todavia, ela deve ser restrita ao momento eleitoral. Unir as diversas culturas e tendências políticas existentes em uma mesma mesa de negociação é uma virtude para poucos. No atual cenário de polarização política, além do horizonte pode surgir algum personagem neste sentido, mais diplomático do que radical, mais negociador do que desmotivador, mais tolerante do que intolerável. Razão. O texto pode parecer iluminista, entretanto, é apenas disso que estamos precisando. Com urgência.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo