Fale conosco
  • Ouça agora

    Maringá FM

    As mais tocadas da Maringá FM

  • Ouça agora

    CBN Maringá

    As mais tocadas da CBN Maringá

  • Ouça agora

    Mix FM Maringá

    As mais tocadas da Mix FM Maringá

  • Ouça agora

    CBN Cascavel

    As mais tocadas da CBN Cascavel

Portal GMC Online

Agora em Maringá

Ver próximos dias

Gastronomia

Tereré reúne a galera em Maringá e região; saiba tudo sobre a bebida

Quem mora no sul do Brasil com certeza já deve ter provado ou, pelo menos, ouvido falar sobre o tereré.

A famosa bebida feita à base de erva-mate e água gelada é uma boa pedida para ajudar a se refrescar no calor. Presente nas rodas de conversa com os amigos na calçada de casa, faz um grande sucesso com pessoas de todas as idades, inclusive em Maringá e região.

No entanto, todo tomador de tereré que se preze segue um ritual próprio na hora de preparar a bebida. E a primeira pergunta a se fazer é: tomar com água ou suco?

Com o passar dos anos, várias formas novas de consumir a bebida foram surgindo. Existe quem prefere a versão tradicional, apenas com água gelada, mas há também aqueles que gostam de beber com sucos de limão, abacaxi, naturais ou artificiais.

Em uma enquete realizada pelo portal GMC Online no Instagram, a grande maioria dos leitores disseram que preferem consumir seu ‘téras’ do modo clássico, com água e bastante gelo. Mas é claro que não faltou também aqueles que curtem um suco de limão geladinho, não é mesmo? Confira alguns relatos:

“Peguei gosto em tomar tereré quando decidi parar de tomar refrigerante. Gosto com limão e água extremamente gelada”. – @mauriliomardegan

“Tem um gosto de infância, da época que morei no MS. Gosto com água, apenas”. – @v.raimundi

“Com suco…melhor combinação”. – @_drihcardoso

“Tereré é muito gelo, suco de um limão espremido e água. Resto é marmota”. – @lima.dan77

E você? Como gosta do seu Tereré?

Modo de preparo

Para quem ainda é iniciante, algumas dicas são fundamentais na hora de preparar um bom tereré?

Em entrevista ao GMC Online, João Prado, dono de lojas especializadas em artigos para tereré em dois shoppings de Maringá, deu algumas dicas. A primeira delas é investir em uma erva de qualidade. Isso para preservar o sabor e para não entupir a bomba (“canudo” que filtra a infusão para que não se absorva o pó) da cuia (recipiente usado para servir, pode ser copo).

No Paraguai, o tereré é servido nas guampas, que são tradicionalmente feitas parte com chifre de boi, em formato de copo.

Recomenda-se que a erva seja disposta em até 2/3 da cuia. Depois, é preciso virar a cuia na diagonal, vedando a tampa do recipiente para que a erva ocupe toda a lateral. Na sequência, com a cuia na diagonal, a orientação é colocar a bomba em pé e acrescentar o líquido.

Fazer esse processo da erva na diagonal do copo e a bomba em pé pode evitar que a bomba entupa logo na primeira ‘cuia’. Outra dica dos experientes é tampar a ‘boca’ da bomba com o dedo quando for colocar o líquido pela primeira vez.

Origem

Existem muitas histórias sobre a origem da bebida, e a única certeza é de que ela é oriunda dos povos da América do Sul.

No entanto, existem duas versões que são mais populares:

A primeira data de 1932, durante a Guerra do ‘Chaco’, uma das maiores batalhas militares travadas no nosso continente e maior conflito armado da América do Sul no século XX. Na disputa por território entre Bolívia e Paraguai, os soldados paraguaios, mesmo em campo de batalha, não queriam abrir mão de consumir o tradicional “chimarrão”, que assim como o Tereré, é preparado com erva-mate, mas servido com água quente.

Entretanto, as fogueiras que os paraguaios acendiam para aquecer a água chamavam a atenção dos inimigos bolivianos, denunciando sua posição. Com isso, os soldados pararam de acender as fogueiras e passaram a consumir o chimarrão com água fria.

Outra versão é do período da colonização espanhola na América, durante as expedições jesuítas do século XV. Os índios guaranis misturavam a erva-mate na água dos rios por propriedades medicinais. Eles descobriram que a mistura passava uma sensação revigorante, e a prática foi logo adotada pelos espanhóis, que também viram na bebida um meio de saciar a sede de forma mais fácil, devido ao frescor.

Com o passar dos anos, sofreu adaptações, como na composição da erva, por exemplo. O mate do chimarrão é moído, enquanto o do tereré é apenas triturado.

Ao Brasil, a bebida foi trazida pelos paraguaios, através da fronteira do Mato Grosso do Sul, o que explica a sua fama na região sul e centro-oeste do país. 

Benefícios à saúde

Já comprovado cientificamente, através de estudos acerca da erva-mate, que o tereré trás muitos beneficios a quem consome. As folhas são ricas em alcaloides, ácidos fólicos, sais minerais, além de vitaminas A, B1, B2, C e E, que auxiliam no estímulo de atividades físicas e mentais.

Quando consumido moderadamente, se torna também um excelente diurético, ajudando na redução do colesterol e aceleração do metabolismo, o que explica a sua fama de “emagrecedor”.

Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui, e encaminhe uma mensagem informando o seu nome.

As mais lidas agora

Pagamento de até R$ 500 do FGTS para trabalhadores começa nesta sexta

O pagamento de até R$ 500 por conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começa nesta sexta-feira (27) para os trabalhadores nascidos em maio, junho, julho e agosto com poupança ou conta-corrente na Caixa Econômica Federal. A Caixa Econômica Federal iniciou neste mês o depósito automático para quem tem poupança, seguindo calendário […]

Pagamento de até R$ 500 do FGTS para trabalhadores começa nesta sexta

O pagamento de até R$ 500 por conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começa nesta sexta-feira (27) para os trabalhadores nascidos em maio, junho, julho e agosto com poupança ou conta-corrente na Caixa Econômica Federal. A Caixa Econômica Federal iniciou neste mês o depósito automático para quem tem poupança, seguindo calendário […]


Gastronomia