Fechar

Maringá

Em Maringá

'Covarde', diz comerciante que desmaiou ao ser rendido; VÍDEO

Publicado por Luciana Peña/CBN Maringá, 11:32 - 08 de abril de 2020

Bloco de Imagem

Foto: Luciana Peña/CBN Maringá

As imagens da agressão contra um comerciante de Maringá estão rodando o mundo. Elas mostram o dono de um lava jato, Adriano Rosa dos Reis, de 34 anos, sendo rendido por pelo menos meia dúzia de guardas municipais.


O comerciante passa mal e desmaia. Tudo começou quando os fiscais da Prefeitura de Maringá receberam uma denúncia de que o lava jato estava descumprindo o decreto de isolamento social.


Imagens mostram os fiscais entrando no estabelecimento que funciona na frente da casa do comerciante. Adriano aparece vindo logo atrás.



“Foram entrando, tem a filmagem aqui das câmeras. Eles já foram invadindo e multando. Falando que eu estava trabalhando, eu não estava trabalhando. Eu estava sentado na calçado, como as imagens mostram, que eu estava do lado de fora do estabelecimento. E, outra, a partir do momento que eu fecho o portão, aqui é minha residência, não é um comércio. [O portão] estava só um pouquinho aberto. [Eles disseram] que tinha uma denúncia que eu estava trabalhando. Eu perguntei se eles tinham mandato, porque a partir do momento que eles invadem uma residência de uma pessoa, eles têm que ter mandato, né?”, diz o comerciante.



Adriano diz que sentiu humilhado, numa ação que ele considerou covarde.



“Covarde. Um monte em cima de uma pessoa só. Em nenhum momento eu reagi. Eu só não queria ser algemado, porque eu não sou bandido. Sou um trabalhador, pai de família. [Sobre ser algemado] fui só em uma mão, não conseguiram na outra. Eles me pegaram por trás, me deram um mata-leão e eu desmaiei. Eu lembro dentro da ambulância só e, depois, lá na delegacia”, conta Rosa.



Adriano foi preso e indiciado por desacato, resistência, dano ao patrimônio publico e infringir determinação do poder público. Na delegacia ele desmaiou novamente durante o depoimento.



“Fui preso, jogado numa cela. [Sobre o tempo dentro da cela] eu estava tão transtornado que não sei te falar, eu perdi a noção do tempo”, afirma o proprietário do lava jato.



Adriano foi solto porque, segundo a família, o prefeito pagou a fiança de R$ 1 mil. A prefeitura divulgou uma nota afirmando que será aberta uma sindicância para apurar a conduta dos guardas municipais. Adriano diz que tem vários problemas de saúde: pressão alta, depressão e síndrome do pânico.


Veja o vídeo da agressão:

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo