Fechar

Maringá

Semiaberto

Maringá registra primeiro caso de preso com Covid-19 no Paraná

Publicado por Lethícia Conegero, 15:59 - 21 de maio de 2020

Bloco de Imagem

Foto: Cleber França/GMC Online

Um preso do regime semiaberto da Colônia Penal Industrial de Maringá (CPIM) testou positivo para Covid-19. O homem, de 33 anos, é o primeiro detento infectado pelo novo coronavírus no Paraná.


Segundo informações do Sindicato dos Policiais Penais do Paraná (Sindarspen), o preso retornou para a unidade no dia 4 de maio, após uma saída temporária. Em seu retorno, ele ficou em quarentena junto com outros 12 presos, que também retornaram para a unidade. O Sindarspen informou, ainda, que o preso só foi testado e separado do grupo quando apresentou sintomas. O resultado do teste saiu no dia 17 de maio.


O Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) esclareceu que, ao adentrar à unidade, os presos que retornaram da saída passaram por uma triagem para avaliação de saúde, com aferição de temperatura, estado físico, entre outros. E reforçou, em nota, que “por não apresentarem sintomas naquele momento, eles passaram, em seguida, por medidas de higiene (banho e troca de roupa) e foram encaminhados para um alojamento separado, de quarentena preventiva de 14 dias”.


O Depen também informou que o “espaço é separado dos demais alojamentos e os presos em quarentena ficam restritos, isolados neste alojamento sem contato com os demais custodiados na unidade” e que “apenas no 11º dia de quarentena preventiva é que o referido preso apresentou febre leve e foi levado imediatamente à rede pública de saúde para avaliação. Após atendimento e realização do teste, o preso retornou à unidade e foi colocado em uma cela sozinho”.
Por conta do resultado do exame, o detento recebeu do Poder Judiciário o benefício da prisão domiciliar. O Depen afirmou que, após o resultado positivo, “o município verificou que os familiares do preso já haviam desenvolvido os sintomas da doença. Portanto, o contato foi anterior ao retorno à unidade”.


O Departamento Penitenciário do Paraná frisou que nenhum dos outros 12 presos que tiveram contato com ele apresentou qualquer sintoma da doença e, “por estarem assintomáticos e fora do período de contágio, não há necessidade de realização do teste, por enquanto, segundo o protocolo de saúde. Por precaução, o período de quarentena dos mesmos que era de 14 dias, foi prorrogado por mais 15 dias, ou seja, até 29 de maio”.


Texto atualizado às 19h de 21/05/2020 para acréscimo de informações.


 



Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui e participe do nosso grupo. Lembrando que apenas administradores podem enviar mensagens.


Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo