Fale conosco
  • Ouça agora

    Maringá FM

    As mais tocadas da Maringá FM

  • Ouça agora

    CBN Maringá

    As mais tocadas da CBN Maringá

  • Ouça agora

    Mix FM Maringá

    As mais tocadas da Mix FM Maringá

  • Ouça agora

    CBN Cascavel

    As mais tocadas da CBN Cascavel

Portal GMC Online

Agora em Maringá

Ver próximos dias

Paraná

Acordo coletivo não é assinado e Correios aprovam estado de greve

Os Correios aprovaram estado de greve após reunião entre a direção dos Correios e as federações dos trabalhadores para assinar o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT 2018/2019), realizada nessa terça-feira (21), no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Paraná (Sintcom-PR), o Acordo não foi assinado porque “a empresa tentou alterar o texto sobre o Plano de Saúde para impedir ações na Justiça”. Após a decisão em assembleias pela manutenção do atual texto do ACT, a expectativa era que o acordo fosse oficializado, o que não aconteceu “devido a uma manobra da empresa”, afirma o Sinticom.

Conforme o sindicato, a proposta do magistrado, confirmada pela empresa, era de reposição do índice cheio do INPC, de 3,61%, mais a reedição do acordo. A mesma proposta incluía os outros itens da cláusula sobre o plano, exceto das que tratam do custeio do Postal Saúde. O assunto está tramitação no Tribunal, onde correm embargos impetrados pela Fentect para barrar a cobrança de mensalidade do plano. O Acordo aprovado deixa a cláusula em aberto para que a definição sobre o plano viesse após a sentença aos embargos.

Segundo o secretário geral do Sintcom PR, Marcos Rogério Inocêncio, a empresa tentou se valer da reforma trabalhista, na qual o acordado vale mais que o legislado. “Ao assinar o Acordo com as decisões do TST sobre as novas cobranças no plano de saúde, a legislação diz que se está no Acordo, é porque os trabalhadores aceitaram, portanto, abrem mão de qualquer possibilidade de contestar isso na Justiça. Isso não foi só mais um desrespeito com os trabalhadores, foi um verdadeiro deboche com a categoria e com o Tribunal”, apontou o secretário.

Uma nova reunião foi marcada para a próxima quarta-feira (29) para acertar o Acordo.

Segundo Inocêncio, a categoria vai esperar a resolução desse encontro para decidir se declara greve ou não. Os serviços prestados pelos Correios não são afetados com a aprovação do estado de greve, mas “todos os trabalhadores dos Correios estão em alerta”, afirma.

Atualizado 23/08/18 às 13h54 – O Portal GMC Online entrou em contato com a assessoria dos Correios e, por meio de nota, os Correios disseram que “a audiência mediada pelo Tribunal Superior do Trabalho com representantes dos Correios e das federações dos empregados foi adiada em função da impossibilidade de finalizar a redação do Acordo Coletivo de Trabalho – ACT 2018/2019. A data da nova audiência será definida pelo TST.”

*Com assessoria

As mais lidas agora

Pagamento de até R$ 500 do FGTS para trabalhadores começa nesta sexta

O pagamento de até R$ 500 por conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começa nesta sexta-feira (27) para os trabalhadores nascidos em maio, junho, julho e agosto com poupança ou conta-corrente na Caixa Econômica Federal. A Caixa Econômica Federal iniciou neste mês o depósito automático para quem tem poupança, seguindo calendário […]

Pagamento de até R$ 500 do FGTS para trabalhadores começa nesta sexta

O pagamento de até R$ 500 por conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começa nesta sexta-feira (27) para os trabalhadores nascidos em maio, junho, julho e agosto com poupança ou conta-corrente na Caixa Econômica Federal. A Caixa Econômica Federal iniciou neste mês o depósito automático para quem tem poupança, seguindo calendário […]


Paraná