Fale conosco
  • Ouça agora

    Maringá FM

    As mais tocadas da Maringá FM

  • Ouça agora

    CBN Maringá

    As mais tocadas da CBN Maringá

  • Ouça agora

    Mix FM Maringá

    As mais tocadas da Mix FM Maringá

  • Ouça agora

    CBN Cascavel

    As mais tocadas da CBN Cascavel

Portal GMC Online

Agora em Maringá

Ver próximos dias

Policial

Primeira testemunha é ouvida em caso de auditor morto em 2005

Nesta terça-feira (20) começou o julgamento do assassinato do auditor fiscal José Antônio Sevilha. É o primeiro júri popular na Justiça Federal de Maringá. O depoimento do delegado de Polícia Federal Ronaldo Carrer começou às 16h15 desta terça-feira (20). Até às 18h30, não havia terminado. Carrer foi um dos delegados que investigaram a morte do auditor fiscal José Antônio Sevilha, assassinado a tiros em 29 de setembro de 2005, e a primeira testemunha a ser ouvida no julgamento.

No depoimento, o delegado falou como foi o trabalho da PF naquele momento. Nos primeiros dias, seis linhas de investigação foram abertas: desde crime passional, até problemas dentro da Receita Federal, onde Sevilha trabalhava. O delegado contou que foi no fim daquele ano que a polícia descobriu o envolvimento do empresário Marcos Gottilieb. A reportagem da rádio CBN Maringá acompanhou parte do depoimento.

Uma sala foi adaptada, dentro do prédio, para receber o júri, composto por 7 pessoas, escolhidas pela manhã. Ao todo, 15 pessoas devem ser ouvidas pela Justiça. São 7 testemunhas de acusação e 8 de defesa.

Estão sendo julgados três dos cinco indiciados: o empresário Marcos Gottlieb, proprietário da Gemini e apontado como mandante do crime; Fernando Ranea, que seria o executor; e Moacyr Macêdo, que teria aproximado os dois. Outros dois homens foram indiciados, porém um nunca foi localizado e outro morreu durante cumprimento de pena pelo crime de sequestro. Os três que estão sendo julgados são acusados pelo crime de homicídio qualificado, e a pena varia de 12 a 30 anos de reclusão.

O empresário Marcos Gottlieb está preso preventivamente desde maio deste ano.

Um dos motivos que teriam levado ao crime seria uma investigação que Sevilha realizava na empresa de Gottilieb. Havia indícios de sonegação fiscal.

Pela investigação da PF, o crime foi planejado com antecedência. No dia do homicídio, Sevilha deixava a casa da mãe quando parou o carro por causa de um pneu que teria sido furado por um dos réus. Na sequência ele foi assassinado a tiros.

A previsão é que o julgamento termine na quinta-feira (23).

Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui, e encaminhe uma mensagem informando o seu nome.

As mais lidas agora

Pagamento de até R$ 500 do FGTS para trabalhadores começa nesta sexta

O pagamento de até R$ 500 por conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começa nesta sexta-feira (27) para os trabalhadores nascidos em maio, junho, julho e agosto com poupança ou conta-corrente na Caixa Econômica Federal. A Caixa Econômica Federal iniciou neste mês o depósito automático para quem tem poupança, seguindo calendário […]

Pagamento de até R$ 500 do FGTS para trabalhadores começa nesta sexta

O pagamento de até R$ 500 por conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começa nesta sexta-feira (27) para os trabalhadores nascidos em maio, junho, julho e agosto com poupança ou conta-corrente na Caixa Econômica Federal. A Caixa Econômica Federal iniciou neste mês o depósito automático para quem tem poupança, seguindo calendário […]


Policial