Fale conosco
  • Ouça agora

    Maringá FM

    As mais tocadas da Maringá FM

  • Ouça agora

    CBN Maringá

    As mais tocadas da CBN Maringá

  • Ouça agora

    Mix FM Maringá

    As mais tocadas da Mix FM Maringá

  • Ouça agora

    CBN Cascavel

    As mais tocadas da CBN Cascavel

Portal GMC Online

Agora em Maringá

Ver próximos dias

Policial

‘Quadro Negro’ cumpre mandado em casa de empresário de Maringá, diz MP

O Ministério Público do Paraná, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), cumpre mandado de busca e apreensão na casa de um empresário de Maringá nesta quinta-feira (8). A ação faz parte da segunda etapa da sexta fase da Operação Quadro Negro, que investiga um esquema de corrupção ativa, peculato e desvios de verbas públicas ocorridos na Secretaria de Estado da Educação (Seed). 

A primeira etapa foi deflagrada nesta quarta-feira (7), quando 32 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Curitiba, Campo Largo, Cascavel e Castro. Agora, mais 17 ordens judiciais são cumpridas nesta quinta. Além de Maringá, o Ministério Público percorre residências de empresários em Cascavel (três locais), Tomazina (dois), Londrina (dois), Umuarama (dois), Foz do Iguaçu, Pitanga, Realeza, Itaipulândia, Pato Branco, Ponta Grossa e Paranavaí.

Em entrevista à rádio CBN Maringá, o procurador Leonir Batisti, coordenador estadual do Gaeco, explicou que o empresário maringaense era vinculado a uma construtura que tinha contratos com a Secretaria de Educação e que, segundo a investigação, teria pago propina para ser favorecido. 

“Especificamente eu não sei, em Maringá, qual é exatamente a razão para o pagamento de proprina. No todo, no estado, os empresários pagavam proprina até mesmo para receber rapidamente o dinheiro e muitas vezes para receber algo que ainda não tinham feito. É como se pegassem o dinheiro do estado adiantado, coisa que, obviamente, o contrato não prescrevia e coisa que é ilegal. Tudo isso em troca de propina, segundo os elementos probatórios que temos até o momento”, detalhou o procurador. 

De acordo com ele, esse desdobramento da operação, a exemplo do que ocorreu na quarta-feira, tem como objetivo apreender celulares, computadores, documentos ou valores. 

Na primeira etapa, segundo o MP, houve quatro prisões em flagrante, na capital do estado (duas por posse ilegal de arma de fogo, uma por posse de munição e outra por desacato).

A Operação Quadro Negro investiga um esquema de corrupção que, conforme o Ministério Público, ocorreu entre os anos de 2012 e 2015. Os alvos principais da investigação são empresários, ex-servidores e agentes públicos. 

As mais lidas agora

Pagamento de até R$ 500 do FGTS para trabalhadores começa nesta sexta

O pagamento de até R$ 500 por conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começa nesta sexta-feira (27) para os trabalhadores nascidos em maio, junho, julho e agosto com poupança ou conta-corrente na Caixa Econômica Federal. A Caixa Econômica Federal iniciou neste mês o depósito automático para quem tem poupança, seguindo calendário […]

Pagamento de até R$ 500 do FGTS para trabalhadores começa nesta sexta

O pagamento de até R$ 500 por conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começa nesta sexta-feira (27) para os trabalhadores nascidos em maio, junho, julho e agosto com poupança ou conta-corrente na Caixa Econômica Federal. A Caixa Econômica Federal iniciou neste mês o depósito automático para quem tem poupança, seguindo calendário […]


Policial

Denarc fecha ‘escritório do crime’ em Maringá

Foram cumpridos 24 mandados de busca e apreensão e 14 de prisão preventiva. O escritório do crime era comandado por um preso da Casa de Custódia. Os mandados foram cumpridos em Maringá, Sarandi e Mandaguaçu.