Fechar

+ Esportes

Boxe

Maringaense Lúcio Aurélio defende cinturão da Liga dos Dragões

Publicado por Nailena Faian, 13:53 - 23 de Novembro de 2018

O maringaense Lúcio Aurélio, mais conhecido como Tutio, vai defender o cinturão da Liga Paranaense dos Dragões na categoria peso-pesado em evento no dia 8 de dezembro, em Maringá.


Mesmo depois de um tempo fora das competições, o lutador de boxe, de 48 anos, conquistou o cinturão em março deste ano em Londrina e ainda contra um adversário 20 anos mais novo do que ele. “Na época perguntaram para mim se tinha algum atleta para competir e decidi que eu mesmo iria. Treinei bastante, cheguei lá e o cara, o Defu Monteiro, era grande, tinha 15 quilos a mais do que eu”, lembra.


Lúcio garantiu a vitória e, no mesmo evento, o lutador Fábio Hauly, de Cambé, o desafiou. Marcado para 8 de dezembro, o confronto será no centro de treinamento Victória Muay Thai Team, localizado na Avenida Carlos Borges, 642.


O evento começa a partir das 17h e a entrada custa R$ 40. Além do embate entre Lúcio e Fábio, que será o último, serão realizadas outras 15 lutas casadas, que mesclam K1 e muay thai ou boxe. O campeão leva R$ 600 e o vice-campeão, R$ 300.

Bloco de Imagem

Lúcio Aurélio tem 48 anos e é professor de muay thai. Foto: Divulgação

Carreira
Lúcio Aurélio começou no taekwondo ainda pequeno, com apenas 7 anos, com o mestre Myong Jae Han. Conquistou seu primeiro título em 1990, garantindo uma vaga no Panamericano em Porto Rico e na Copa do Mundo em Madrid. A partir daí não parou mais e conquistou diversas vitórias pelo mundo.


Hoje Lúcio é professor de muay thai na Victória Muay Thai Team. Em outubro do ano passado, a Câmara de Maringá o homenageou com o Brasão do Município e o título do Mérito Comunitário em reconhecimento aos relevantes serviços prestados à arte marcial de Maringá.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo