Fechar

Policial

1 mês / Caso Magó

Polícia pode pedir material genético de todas as testemunhas

Publicado por Fábio Guillen, 17:30 - 26 de February de 2020

Bloco de Imagem

Maria Glória Poltronieri Borges foi brutalmente assassinada há um mês em cachoeira de Mandaguari - Foto: Arquivo pessoal

O delegado de Mandaguari, Zoroastro Nery do Prado Filho, não descarta a possibilidade de pedir a coleta de material genético das mais de 50 pessoas ouvidas no inquérito que investiga a morte da bailarina Maria Glória Poltronieri Borges, 25 anos, a Magó.


A jovem foi encontrada morta no dia 26 de janeiro deste ano quando acampava sozinha em uma pousada de Mandaguari, às margens da Cachoeira Massambani. O caso completou um mês e até o momento ninguém foi preso.


A Polícia Civil coletou o material genético de três rapazes suspeitos de envolvimento na morte da bailarina e enviou para o Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba. Os laudos devem sair em breve.


“Quando sair o resultado se não der nada vamos continuar ouvindo pessoas e quem sabe até pedir a coleta de material genético de todas as testemunhas que estiveram na cachoeira e que já foram ouvidas. Não podemos descartar nenhuma possibilidade nesse momento”, disse o delegado Zoroastro Nery do Prado Filho, em entrevista ao GMC Online.


A dificuldade da Polícia Civil em chegar ao autor da morte tem relação com o local do crime. Na região da cachoeira não existem câmeras de segurança e, por isso, o delegado depende do depoimento das testemunhas.


Delegado passou o Carnaval trabalhando


O delegado Zoroastro Nery do Prado Filho disse ao GMC Online que passou o feriado de Carnaval trabalhando tranquilamente. “Trabalhei mais de 12 horas investigando, organizando laudos, o inquérito e fazendo diligências. Não vou parar”, disse.


Um mês sem Magó


Amigos e familiares de Magó estão há um mês sentindo a dor de terem perdido uma pessoa tão querida. Nesta quarta-feira, 26, será celebrada uma missa de 30 dias para a bailarina na Paróquia Menino Jesus de Praga e São Francisco Xavier, que fica na Rua Monsenhor Kimura, 36. A missa será às 20h.


Bailarina foi violentada sexualmente


O laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Maringá confirmou que a bailarina Maria Glória Poltronieri Borges sofreu violência sexual. A informação foi confirmada pelo delegado Diego Almeida, responsável pela delegacia de homicídios de Maringá e que auxilia na investigação do caso.

Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui e participe do nosso grupo. Lembrando que apenas administradores podem enviar mensagens.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo