Fechar

+ Esportes

Mundial

Decisão polêmica tira medalha da maringaense Débora no revezamento

Publicado por Chrystian Iglecias, 14:55 - 13 de Setembro de 2019

Bloco de Imagem

Débora, de toca branca, reclama da decisão da organização. Foto: Alê Cabral/CPB

O Brasil protagonizou com a delegação russa uma grande confusão nesta quinta-feira (13), em meio à disputa do revezamento 4x100 misto, estilo livre, no Mundial de Natação Paralímpica, em Londres. Com a maringaense Débora Carneiro entre os atletas escolhidos para a prova, os brasileiros sentiram o gosto de uma medalha de bronze heróica, mas acabaram frustrados após decisão bastante polêmica dos árbitros.


Após o último brasileiro, Felipe Caltran, "bater" na quarta colocação, subitamente a organização de prova colocava o Brasil em terceiro, com a medalha de bronze, na classificação. O motivo? um erro na "passagem de bastão" russa, que desclassificava os europeus e colocava Débora e cia. no pódio.


O time brasileiro já havia comemorado e concedido entrevistas como medalhistas, quando os árbitros voltaram atrás novamente. Após protestos da Rússia, a decisão foi para o vídeo, que não captou o momento exato do potencial erro. Assim, a medalha foi "devolvida" aos russos.


Após o ocorrido, o técnico das gêmeas Débora e Beatriz Carneiro veio a esclarecer os fatos e afirmou que, a olho nu, o erro da Rússia pareceu claro e "escandaloso". Porém, sem as imagens, não havia mais o que fazer.



"Acontece, infelizmente. A olho nu foi um erro gritante, mas todos os coordenadores da natação aqui fizeram o possível dentro das regras. Eles voltaram atrás alegando erro na placa que detectou a desclassificação", explicou André Yamazaki.



Esta seria a segunda medalha em duas provas para Débora Carneiro no Mundial de 2019. Na quarta-feira (11), a jovem de 21 anos foi bronze nos 100m peito, empatada com a russa Sabalina, protagonista do possível erro desta quinta (12).


O clima entre os quatro brasileiros que disputaram a prova, porém, foi de descontração após o "insólito" caso. Débora, inclusive, havia feito uma excelente prova, marcando o incrível tempo de 1m02s41.


Agora, Débora e sua irmã Beatriz voltam a concentrar suas forças para o último desafio no Mundial: a prova dos 200m Medley, que ocorre na tarde desde sábado (14). No Parapan, as duas fizeram dobradinha, com ouro e prata, nesta mesma prova.

Bloco de Imagem

Chorar pra quê? Foto: Alê Cabral/CPB

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo