Fechar

Maringá

Maringá

Após confusão na praça da Catedral, carro da Semob é apedrejado

Publicado por Monique Manganaro, com informações de Luciana Peña , 09:04 - 13 de Agosto de 2018

Bloco de Galeria

Uma reunião de jovens na praça da Catedral, em Maringá, terminou em confusão. Nas redes sociais, o prefeito Ulisses Maia comentou o caso.


De acordo com informações e fotos publicadas no perfil do prefeito no Facebook, agentes da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) e da Guarda Municipal foram chamados pelo pároco da Catedral porque os jovens estavam com som alto.


No local, os servidores públicos teriam sido agredidos e uma pedra teria sido atirada contra um veículo da Semob, que teve o para-brisa quebrado e a lataria amassada.


Atualizada às 11h35 - De acordo com a Prefeitura de Maringá, a Polícia Militar e a Guarda Municipal registraram os boletins de ocorrência. Segue agora investigação para identificação dos autores que além de indenizar o prejuízo causado ao patrimônio público, podem sofrer penalidades que incluem detenção e multa.


“Se [os suspeitos] não forem identificados, o poder público e consequentemente a comunidade terá de pagar o conserto do veículo, que pode ficar em uma mecânica e deixar de atender a população”, lamenta o diretor de Fiscalização da Semob, Marcelo Felite.


Um veículo que estava com som alto no local foi apreendido e removido para o pátio da 13ª Ciretran. A multa é grave, com cinco pontos na habilitação e multa de mais de R$ 195.


O secretário extraordinário de Segurança Pública, Antônio Padilha, ressalta que a administração realiza ajustes nas 70 câmeras de videomonitoramento que auxiliarão no atendimento mais rápido de ocorrências.


Com informações da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Maringá 

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo