Fechar

Maringá

Nesta quarta

Estudantes da UEM se mobilizam para paralisação

Publicado por Victor Simião/CBN Maringá, 17:13 - 14 de Maio de 2019

Ao longo desta terça-feira (14), alguns estudantes da Universidade Estadual de Maringá (UEM) se mobilizaram. A ação foi uma espécie de pré-paralisação. Nesta quarta-feira (15), haverá uma paralisação nacional da educação. Não haverá aulas nas universidades publicas.


Nesta terça, estudantes de cursos como Direito, Artes Cênicas e Ciências Sociais fizeram cartazes e faixas com críticas ao Governo Federal. Entre outras frases, foram escritas “Por uma Educação que nos ajude a pensar e não a obedecer”, e “Essa Balbúrdia Formou Seu Ministro” – uma referência ao Ministro da Justiça Sergio Moro, que estudou na UEM.


Em abril, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse que cortaria verbas das universidades que promoverem balbúrdias.


A mobilização na quarta (15) ocorre após uma série de ações do Governo Federal, desde congelamento de orçamento até corte de bolsas de pós-graduação. Na UEM, foram bloqueadas cerca de 30 bolsas.


Um dos organizadores das ações nesta terça é o estudante de artes cênicas Cesar Augusto Ferreira. Ele disse que é necessário se mobilizar para mostrar que a educação importa sim.


“As mobilizações desta terça e quarta-feira são para mostrar à sociedade a importância da UEM”, afirmou.


Mesa redonda


Às 18h desta terça (14), uma mesa redonda com o tema “E se a UEM fechar?” será realizada. O encontro será no estacionamento do Restaurante Universitário. Entre outros assuntos em pauta estão o Laboratório de Ensino e Pesquisa em Análises Clínicas (Lepac), o Hospital Universitário (HU) e o corte de bolsas.


Ouça a reportagem.


 

Bloco de Imagem

Foto: CA de Direito

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo