Fechar

Maringá

Educação

UEM: servidores rejeitam proposta do governo e vão continuar em greve

Publicado por Redação GMC, 17:02 - 17 de Julho de 2019

Servidores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) decidiram continuar em greve. A decisão foi tomada em assembleia realizada na tarde desta quarta-feira (17), no Restaurante Universitário (RU).


Eles não aceitaram a proposta do governo de reajuste de 5,08% de forma parcelada. A proposta prevê que a primeira parcela de reajuste será de 2%, com pagamento em janeiro de 2020. As outras duas são de 1,5%, com pagamentos em janeiro de 2021 e janeiro de 2022.


"Em assembleia repleta de servidores, eles rejeitaram a proposta do governo. (...) Deliberaram, portanto, a manutenção da greve esperando que o governo melhore essa proposta", disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar), José MAria Marques.


"Infelizmente não temos previsão de quanto tempo (a assembleia contiuará). Na semana que vem faremos outra assembleia de avaliação para ver o andamento do movimento e aí pode se haja um fato novo, uma coisa direntes. Mas por enquanto a greve se mantém", completou.


A UEM entrou em greve no dia 26 de junho.

Bloco de Imagem

Foto: Luís Cláudio/Sinteemar

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo