Fechar

Paraná

Saúde

Epidemia de dengue alcança mais 5 cidades do Paraná

Publicado por AEN, 15:49 - 21 de Maio de 2019

Bloco de Imagem

Foto: Agência Brasil

Mais cinco municípios entraram na lista dos que estão em epidemia de dengue – Peabiru, Quinta do Sol, Cruzeiro do Oeste, Paranapoema e Jacarezinho. Ao todo, já são 35 municípios nesta situação no Paraná, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (21) pela Secretaria de Estado da Saúde.


A epidemia é confirmada depois que a cidade aponta, proporcionalmente, mais de 300 casos por 100 mil habitantes. Em alerta estão outros 41 municípios paranaenses; estes registram mais de 100 casos por 100 mil habitantes.



“Toda a população deve estar envolvida no combate à dengue. O Paraná precisa da ajuda de todos para acabar com os criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença”, alerta o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto. Ele ressalta que 80% dos focos de mosquitos se formam nos quintais e dentro das residências, principalmente nos recipientes que acumulam água parada. “Temos que eliminar os focos para o controle da dengue, para nosso bem-estar e de nossa família”, afirma Beto Preto.



A Secretaria da Saúde segue com várias frentes de combate à dengue, promovendo ações preventivas por meio do Setor de Doenças Transmitidas por Vetores, como a capacitação de profissionais para o diagnóstico e manejo clínico da dengue.


Dados


O informe epidemiológico da semana aponta 8.158 casos confirmados de dengue no Paraná. São 1.386 a mais que na semana anterior, que apresentou 6.772 casos confirmados. Os casos autóctones, contraídos na própria cidade de residência, são 7.869. E 21 municípios apresentaram autoctonia pela primeira vez. Matinhos está entre estas cidades com 14 casos.



“Estamos intensificando as ações de combate em todo Litoral, com busca ativa de criadouros”, explica o diretor da 1ª Regional de Saúde de Paranaguá, José Carlos de Abreu. “Em Matinhos vamos iniciar uma operação nesta quinta-feira, em parceria com a secretaria municipal da Saúde e Universidade Federal do Paraná para o monitoramento da presença do mosquito transmissor em toda zona urbana”, informa.



A operação acontecerá com a instalação de armadilhas que imitam o ambiente de um criadouro em 87 residências de Matinhos. “Vamos deixar um recipiente preparado para que o mosquito deposite os ovos e quatro dias após, na segunda-feira (27), recolheremos o material para checagem de bairros com maior incidência.



"O objetivo da operação é nortear as áreas com prioridades para o controle”, complementa o biólogo da 1ª Regional, Pedro Calderaro. Os proprietários das residências onde as armadilhas serão colocadas assinaram termo de autorização.


Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo