Fechar

+ Esportes

Para crianças

Projeto de Ginástica Rítmica tem mais de 390 alunas

Publicado por Redação GMC, 14:59 - 02 de abril de 2019

Bloco de Imagem

Foto: Orlando Gonzales/Divulgação/PMM

A Associação de Ginástica de Maringá e Região (Agimar), em parceria com a Secretaria de Esportes e Lazer (Sesp), oferece aulas para crianças de 4 a 12 anos. O projeto atende cerca de 390 meninas, em 18 turmas. As aulas são realizadas no Parque do Japão, Centro Esportivo do Jardim São Silvestre e no Ginásio Valdir Pinheiro, na Vila Olímpica. Para participar do projeto, interessadas precisam preencher o fomulário (veja no link abaixo).


As aulas ocorrem em diversos horários, de duas a três vezes por semana. “Mesmo com esse grande número de participantes, ainda temos vagas em algumas turmas. É só preencher o cadastro que entraremos em contato. Como a procura é grande, fazemos chamadas nas aulas”, explicou a treinadora e coordenadora do projeto, Ingrid Silva


O projeto tem por objetivo construir a cidadania, por meio da modalidade esportiva. A Agimar também tem treinamentos voltados ao alto rendimento. Atualmente, são mais de 60 atletas que participarão dos Jogos Abertos do Paraná (Jap's), dos Jogos da Juventude do Paraná (Jojup's), Campeonato Paranaense e Brasileiro.


No final do ano, as alunas interessadas passam por um teste e, se aprovadas, começam a treinar no alto rendimento. as aulas correm de 3 a 6 vezes por semana. Nos Jap′s ano passado, a Agimar ficou na 3ª colocação geral, e nos Jojup′s na 5ª posição na classificação geral.


Saiba mais


Ficha de inscrição para as aulas no Valdir Pinheiro
https://goo.gl/forms/wwaqqDHdkUaFLjO82 


Ficha de inscrição para as aulas no Parque do Japão
https://goo.gl/forms/d0nfk2R2vPzOSEr12 


Ficha de inscrição no Centro Esportivo São Silvestre
https://goo.gl/forms/Wyg4mfFIR4DTrd792 

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo