Fechar

Maringá

doença

Maringá tem 1.628 casos de dengue confirmados, diz boletim

Publicado por Redação GMC Online, com AEN, 18:32 - 26 de February de 2020

Maringá tem 1.628 casos confirmados de dengue, conforme boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde nesta quarta-feira, 26. Por conta do número de casos, a cidade está em epidemia de dengue e também já contabilizou a morte de duas pessoas por causa da doença.


Além de Maringá, outras 13 cidades entraram em epidemia de dengue. São elas: Londrina, Foz do Iguaçu, Umuarama, Iracema do Oeste, Brasilândia do Sul, Ivaté, Jussara, Tapejara, Ivatuba, Nova Esperança, Sarandi, São Pedro do Ivaí, Guaraci e Leópolis.


O monitoramento do período epidemiológico com início em 28 de julho de 2019 totaliza hoje 35.853 casos confirmados da doença no Paraná. A publicação anterior trazia 26.692, ou seja, são 9.161 novos casos em uma semana.


Paranavaí, que já faz parte das cidades em epidemia, soma o maior número de casos do estado, com 3.878 confirmações.



“Estamos no momento considerado de maior circulação viral da dengue, com o registro de muita chuva, mas com a permanência do calor e de dias abafados, situação propícia para a proliferação do mosquito transmissor da doença, que se reproduz facilmente em qualquer lugar que acumule água parada”, explica o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto.


“Por isso, nosso apelo e alerta semanal a todo paranaense para que ajude a combater a dengue, eliminando os criadouros do mosquito Aedes Aegypti. É importante lembrar que 90% dos criadouros estão nas residências, em ambientes externos e internos”, afirma.



Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui e participe do nosso grupo. Lembrando que apenas administradores podem enviar mensagens.

Bloco de Imagem

Foto: Ilustrativa/PMC

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo