Fechar

Maringá

90 dias

Prefeitura prorroga pagamento do Simples em Maringá

Publicado por Victor Simião/CBN Maringá, 17:18 - 25 de março de 2020

Em novo decreto, publicado nesta quarta-feira, 25, a Prefeitura de Maringá prorroga o prazo de pagamento do Simples Nacional, o imposto que é pago pelo micro e pequeno empresário, além do microempreendedor individual. Por mês, o município arrecada R$ 5 milhões com o tributo.


Essa é a primeira medida financeira que, na prática, alivia o caixa de empresas na cidade. O motivo: o coronavírus.


A prorrogação de pagamento é de 90 dias.


Segundo o decreto, vencimentos para abril devem ser pagos em outubro; os de maio, em novembro; e os de junho, em dezembro.


Vencimentos relativos a fevereiro que deveriam ser quitados neste mês seguem sem alteração.


Com a data de 25 de março, o decreto já está valendo.


Segundo o secretário de Fazenda de Maringá, Orlando Chiqueto, a prorrogação de pagamento só foi possível porque a arrecadação no primeiro bimestre deste ano aumentou 8% no comparativo com o ano passado. Os impostos próprios em 2019 chegaram a R$ 250 milhões entre janeiro e fevereiro. Neste ano, a R$ 280 milhões.


No ano passado, Meis e micro/pequenos empresários movimentaram R$ 174 milhões na cidade.


Em relação aos principais impostos de Maringá, IPTU, ISS e ITBI, a Fazenda municipal informou estar analisando o mercado e a possibilidade de algum tipo de medida financeira. Nada está decidido até o momento.


A Prefeitura também irá aportar dinheiro em um fundo para permitir um empréstimo com taxas menores a empresários.


Ouça a reportagem completa na CBN Maringá.

Bloco de Imagem

Foto: Cleber França/GMC Online


Quer receber nossas principais notícias por Whatsapp? Se sim, clique aqui e participe do nosso grupo! Lembrando que apenas administradores podem enviar mensagens.


Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo