Fechar

Policial

corpo carbonizado

Polícia prende esposa de enfermeiro morto após sequestro, em Maringá

Publicado por Nailena Faian, 08:46 - 15 de Novembro de 2019

Bloco de Imagem

Vítima tinha 56 anos. Foto: Reprodução/Facebook

A Polícia Civil prendeu temporariamente, nessa sexta-feira (15), a esposa do enfermeiro que teve o corpo carbonizado após ser sequestrado em Maringá. O corpo de Ubyara Delamura Alencar, de 56 anos, foi encontrado dentro de um veículo incendiado na madrugada de quinta-feira (14) no Jardim Miosótis.


De acordo com o responsável pela Delegacia de Homicídios, delegado Diego Almeida, durante interrogatório, a mulher de 28 anos confessou que sabe quem é o autor do crime e que foi ela quem pediu para ele dar um susto em seu marido.



“Ela disse que sabia que eles iriam ser abordados por esse sujeito, mas que seria apenas para dar um susto no marido dela. Ela não imaginava que o executor chegaria a matar”, explicou o delegado em entrevista ao GMC Online.



Segundo o delegado, a mulher revelou que pretendia pedir o divórcio para ficar com parte dos bens do marido, já que eram casados em regime de comunhão universal de bens.


A prisão temporária é de 30 dias. Enquanto isso, a Polícia Civil segue investigando o caso para tentar localizar o autor do crime.


De acordo com o portal da transparência da Prefeitura de Maringá, o enfermeiro trabalhava no posto de saúde do Conjunto Requião. 


Sequestro


A Polícia Militar foi acionada por volta das 23h de quarta-feira (13) para atender uma situação de roubo seguida de sequestro. A mulher relatou que estava com o marido numa lanchonete na Zona 7 e quando o casal entrava no carro para ir embora, um homem invadiu o veículo pela porta de trás.


Para a PM, a mulher contou que o homem estava com um objeto em mãos e que a forçou a dirigir até o Jardim Miosótis. Ela foi abandonada no local e o homem seguiu com o marido dela no veículo.


Durante patrulhamento, a PM encontrou o carro incendiado e um corpo carbonizado dentro do veículo, que segundo a PC, é do enfermeiro. O Instituto Médico-Legal (IML) recolheu o corpo.


Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui, e encaminhe uma mensagem informando o seu nome.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo