Fechar

Maringá

Decisão

Arcebispo de Maringá, Dom Anuar Battisti renuncia ao cargo

Publicado por Luciana Peña/CBN Maringá, 08:23 - 20 de Novembro de 2019

O arcebispo de Maringá, Dom Anuar Battisti, renunciou ao cargo. O pedido de renúncia foi aceito pelo Papa Francisco. Na manhã desta quarta-feira (20), o arcebispo irá se pronunciar sobre o assunto em entrevista coletiva.


A renúncia foi solicitada por motivos de saúde. Agora, Dom Anuar passa a ser “Arcebispo Emérito de Maringá”. No próximo dia 24, ele completaria 15 anos como arcebispo da cidade.


Aos 65 anos, ele está com a saúde fragilizada. Em 2002, sofreu um derrame cerebral e passou a conviver com sequelas quase imperceptíveis. 



“Nas últimas semanas, comecei a ter vários apagões, momentos em que chego a perder a consciência em alguns compromissos, inclusive nas celebrações. Não foi fácil tomar essa decisão, mas é o melhor para mim e para a Igreja”, comenta.



No ano passado, o arcebispo foi submetido a uma angioplastia e também à retirada da vesícula. 


Dom Frei João Mamede Filho será Administrador Apostólico da Arquidiocese de Maringá


Com a renúncia de Dom Anuar, Dom Frei João Mamede Filho, atual bispo de Umuarama, foi designado pelo Papa Francisco como administrador apostólico da Arquidiocese de Maringá.


Ele assume o governo da igreja até que um novo arcebispo seja nomeado para a cidade.


Dom Frei João Mamede FIlho, que é franciscano, já terá compromisso em Maringá nesta quinta-feira (21). Ele continua sendo bispo em Umuarama. Vai acumular as duas funções.


Atualizada às 8h55 para acréscimo de informações


Quer receber nossas principais notícias pelo WhatsApp? Se sim, clique aqui, e encaminhe uma mensagem informando o seu nome.

Bloco de Imagem

Foto: Divulgação/Catedral

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo