Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar nosso portal, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

18 de maio de 2024

7º Saia na Roda ocupa a Casa Luanda com oficinas e apresentações gratuitas nos dias 27 e 28, em Maringá


Por Redação GMC Online Publicado 17/04/2024 às 10h13
 Tempo de leitura estimado: 00:00
WhatsApp-Image-2024-04-17-at-10.10.33
Foto: Divulgação

Nos dias 27 e 28 de abril a Capoeira Angola Dinda realiza a sétima edição do encontro Saia na Roda – Capoeira Angola e Cultura Popular. O evento terá oficinas de capoeira angola, musicalidade da capoeira, samba de roda corrido, tambor de crioula, roda de conversa e apresentações artísticas. Todas as ações são gratuitas e acontecem na Casa Luanda, nova sede do grupo, fundada em 2022, e que tem se tornado um ponto cultural afro-brasileiro de referência na cidade de Maringá, mantido de forma independente por três coletivos.

“Esse evento surgiu em 2015 com a ideia de reunir mulheres protagonistas da cultura popular para a transmissão do conhecimento, exatamente por essa falta que nós temos de referências femininas dentro de uma liderança”, explica a produtora e diretora do projeto, Mariana Rodrigues da Silva, a Contramestra Maré, que sempre realizou essa ação de forma independente.

O objetivo, então, é trazer essas mulheres para transmitir conhecimento e expandir as referências, as pessoas com as quais outras mulheres possam se identificar para seguir a caminhada na cultura popular. “A primeira edição trouxe pessoas da nossa região. Sempre foi um encontro pequeno, mais regional, entre Maringá, Londrina e cidades do entorno. Depois, esse encontro se tornou anual e foi ganhando corpo e a gente começou a trazer algumas mestras de fora, como a Mestra Elma, que é maranhense, mas mora em Florianópolis. Logo depois veio a pandemia, fizemos pequenos encontros, mas no pós-pandemia a gente não conseguiu mais se reunir”, lembra a contramestra Maré. Agora o encontro pôde ser retomado graças ao incentivo do Prêmio Aniceto Matti, da Secretaria Municipal de Cultura, que possibilitou trazer duas mestras de longe.

“Esse ano nós vamos receber a Mestra Di, que é de Olinda/Pernambuco, que é afro-pernambucana, muito reconhecida, muito respeitada. Ela traz oficinas de capoeira angola. Teremos a Mestra Dandara, uma mulher preta maranhense que reside em Salvador e traz muito a influência da encantaria maranhense para dentro da capoeira. Ela dará oficinas de capoeira angola e tambor de crioula. Além disso, teremos trocas com as produtoras da cidade, com apresentações culturais do Baque Mulher, Anjos da Guarda e Capoeira Angola Dinda”, anuncia a produtora.

As atividades são abertas a todas as pessoas, com classificação livre, no limite de 50 vagas para cada oficina.

Programação:

Dia 27 (Sábado)
8h – Café da manhã
9h30 – Oficina de Capoeira Angola com Mestra Dandara
Roda de Capoeira
(12h30 Almoço)
14h30 – Oficina de musicalidade
15h30 – Oficina de Capoeira com Mestra Di
17h – Roda de Capoeira
Café da tarde
19h – Samba de Roda com Fernanda Machado
21h – Tambor de Crioula com Mestra Dandara
Vadiagem

Dia 28 (Domingo)
8h – Café da manhã
9h – Treino com as mestras
11h – Roda de encerramento
15h – BATUCAJÉ

  • Roda de Capoeira Angola
  • Bumba meu boi Anjos da Guarda
  • Maracatu Baque Mulher
  • Pé de Laranjeira

Pauta do Leitor

Aconteceu algo e quer compartilhar?
Envie para nós!

WhatsApp da Redação