Fechar

Maringá

Cidade

5 'personagens do cotidiano' de Maringá; quantos deles você conhece?

Publicado por Redação GMC, 10:29 - 24 de Novembro de 2019

O que seria uma cidade sem os seus "personagens"? Estamos nos referenido a pessoas que chamam a atenção por onde passam e que acabam se tornando conhecidas por boa parte da população.


E em Maringá não é diferente. A cidade conta com moradores que pela irreverência, profissão, ou simplesmente pelo carisma se transformam em personagens locais. Alguns ainda moram e trabalham em Maringá, outros já se mudaram de cidade, ou até mesmo faleceram.


No entanto, cada um deles, à sua maneira, faz parte de um pedacinho da história. Pensando nisso, o GMC Online selecionou alguns desses "famosos" do cotidiano.


Caso se lembre de alguém que poderia estar nesta lista mande uma mensagem para nós no redacao@gmconline.com.br ou envie um WhatsApp clicando aqui.



Jesus sobre duas rodas


Ele anda pelas ruas de Maringá normalmente. Nem parece que está pilotando uma motocicleta que pesa 275 quilos, quando o normal seria ela pesar 93 quilos.


O peso extra se deve a dezenas de penduricalhos. "Mas eles não atrapalham, não", garante o dono do veículo "diferentão", Jesus Benício Cardoso, de 53 anos. “Pesa um pouco, mas já estou acostumado”, acrescenta.


Morador do Conjunto Residencial Rodolpho Bernardi, na zona norte da cidade, e funcionário da Ceasa, a motocicleta enfeitada garantiu a ele o apelido de “Negão da Moto”.


“Tem churrasqueira, chuveiro, umas 30 bonecas, tem uma até que 'urina'. São mais de 60 objetos”, descreve ele.


E a motocicleta não é só para dar um “rolê” nos fins de semana. Jesus usa a Harley-Davidson Motovi, ano 1977, no dia a dia, seja para trabalhar ou ir ao mercado.


Leia mais sobre a história dele aqui.

Bloco de Imagem

Foto: GMC Online


Inácio e seu carrinho


Bloco de Imagem

Foto: Luiz Santos/GMC Online

Cocada, pipoca doce, amendoim cri cri. Estes são alguns dos doces vendidos no “Carrinho do Inácio”, na Praça Renato Celidônio (da Prefeitura). Inácio Lopes de Carvalho tem 79 anos e há 13 dedica seus dias à produção e comercialização de guloseimas.


Antes o carrinho ficava do outro lado da Avenida XV de Novembro, em frente ao Centro de Ação Cultural. “Estou aqui por causa das obras, mas quando acabarem voltarei para lá”, afirma Inácio.


De segunda a sexta-feira, a rotina do quase octogenário, morador do Jardim Montreal, começa cedo. “Pego o ônibus, chego aqui às 9h, busco o carrinho no estacionamento e fico até às 17h”, relata.


Inácio também leva o próprio almoço. Ele come sentado em sua banqueta e tem como companhia o rádio. “Gosto muito de rádio, escuto de tudo um pouco”, diz.



Dona Maria, a vendedora cega


Bloco de Imagem

Cega e vendedora de guardanapos, Maria Aparecida Rosani morreu em fevereiro deste ano, aos 62 anos. Moradora do Jardim Alvorada, ela era bastante conhecida na cidade.


Dona Maria foi vítima de um infarto, enquanto dormia. Segundo a sobrinha dela, Kelly Fernanda Rosani, a tia não apresentava problemas de saúde, mas, acabou falecendo devido ao infarto.


Maria Aparecida Rosani nasceu cega. Apesar da deficiência, ela não deixava de sair pelas ruas de Maringá vendendo guardanapos. Foi assim que ela ganhou popularidade. Carregando uma mala de rodinhas, a vendedora pegava o ônibus e com ajuda de moradores andava pelas ruas de Maringá.


Leia mais sobre a história dela aqui.



A garota do apito


Bloco de Imagem

Foto: Arquivo Pessoal

Há cerca de dez anos, era comum encontrar em avenidas movimentadas de Maringá e em meio aos veículos, uma mulher caminhando apressadamente e apitando sem parar.


Conhecida como "garota do apito", ela se apresentava como Ivone, mas, na realidade chama-se Dulcelina.


Hoje, aos 42 anos de idade, ela ainda sai para passear. Mas em Hortolândia, no interior de São Paulo, onde mora com dois irmãos e uma sobrinha.


Entretanto, mesmo longe de Maringá, ela não perdeu o hábito de sair diariamente, visitando comerciantes, assim como fazia na Cidade Canção. A única diferença é que abandonou o apito.


Clique aqui para saber mais sobre a vida dela nos dias de hoje.



João, campeão do apetite


Dez conchas de arroz, mais quatro de feijão, carne, acompanhamento, salada e ainda uma sobremesa: esse é o prato do almoço do João Marcos de Castro, de 30 anos, mais conhecido como o “campeão do apetite” no Restaurante Popular de Maringá.


Ele almoça no local durante a semana e o prato gigante o transformou em celebridade. Enquanto almoça, quem já o conhece passa perto para cumprimentá-lo. Já quem o vê pela primeira vez, fica impressionado e pede uma foto.


O portal GMC Online ficou sabendo da fama do João e foi almoçar com ele no Restaurante Popular para conhecê-lo e entender como ele consegue comer tanto: o prato dele pesa cerca de 3 quilos. O vídeo (que pode ser assistido acima) já soma ais de 713 mil visualizações no YouTube.


Saiba mais sobre a história do João aqui.

Bloco de Imagem

Foto: Nailena Faian/GMC Online

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo