Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar nosso portal, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

17 de abril de 2024

Polícia apreende mais de 40 cobras com homem que vendia animais pela internet


Por Agência Estado Publicado 02/04/2024 às 21h03
 Tempo de leitura estimado: 00:00
image-15-2
 Foto: Reprodução/Instagram/@nucleodafloresta

Um homem, de 44 anos, que criava e comercializava cobras exóticas pela internet, foi preso em flagrante pela Polícia Civil nesta segunda-feira, 1, em Salto, interior de São Paulo. A operação teve a colaboração do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) Núcleo da Floresta, de São Roque, também no interior.

Ao todo, 47 animais foram resgatados com o acusado, apontado como o principal fornecedor de serpentes ilegais na região. Entre elas, estavam exemplares de corn snake, cobra de leite, king snake e phyton ball, todas consideradas espécies exóticas.

De acordo com o boletim de ocorrência, a prisão aconteceu quando policiais tomaram conhecimento de uma venda que o suspeito realizaria. A partir de então, se posicionaram à paisana no que seria o local da entrega e fizeram a abordagem.

No momento do flagrante, um filhote de serpente estava no carro e seria entregue a uma mulher. Ela percebeu a movimentação policial e fugiu.

As serpentes apreendidas com o suspeito não são nativas do Brasil, algumas delas são encontradas em países como Estados Unidos, México e Indonésia. Segundo Rafael Mana, biólogo do centro para onde as cobras foram encaminhadas, as serpentes não têm registro de origem ou microchip que possam colaborar na identificação.

“Isso é um grande problema. Outra grande questão é que essas serpentes têm potencial de invasor na nossa fauna e pode criar impacto para espécies nativas”, afirma.

Em vídeo divulgado pelo CRAS nas redes sociais, o acusado afirma que já chegou a ter cerca de 100 animais em casa, todas as cobras pertencentes a espécies que não têm veneno. A predileção por esses animais se dava em função do “medo de cobras peçonhentas” que o autor do crime afirmou ter.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP) o caso foi registrado na Delegacia de Itu onde o homem foi preso e liberado em seguida após assinar um termo circunstanciado.

O Estadão não localizou a defesa do suspeito de vender os animais ilegalmente.

As informações são da Agência Estado.

Pauta do Leitor

Aconteceu algo e quer compartilhar?
Envie para nós!

WhatsApp da Redação

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Como funcionava o esquema ‘parasita’ de tráfico de drogas para a Europa descoberto pela PF


A Polícia Federal do Rio Grande do Sul desarticulou nesta terça-feira, 16, uma quadrilha especializada no tráfico de cocaína para…


A Polícia Federal do Rio Grande do Sul desarticulou nesta terça-feira, 16, uma quadrilha especializada no tráfico de cocaína para…

Geral

Bombeiro atira em passageiro que pulou catraca do Metrô na Luz, no centro de SP


Ferido foi encaminhado para atendimento na Santa Casa. Secretaria da Segurança diz que disparo ocorreu após luta corporal entre o…


Ferido foi encaminhado para atendimento na Santa Casa. Secretaria da Segurança diz que disparo ocorreu após luta corporal entre o…

Geral

Professor é preso sob suspeita de roubo, mas escola diz que ele estava em aula a 200 km


Um professor ligado à rede estadual de ensino de São Paulo foi preso temporariamente na terça-feira, 16, sob a suspeita…


Um professor ligado à rede estadual de ensino de São Paulo foi preso temporariamente na terça-feira, 16, sob a suspeita…